Seis pessoas esfaqueadas na Nova Zelândia por terrorista inspirado no Daesh

Jacinda Ardern já classificou o ataque como "desprezível, odioso e errado".

Pelo menos seis pessoas foram foram esfaqueadas na Nova Zelândia. O ataque foi perpetrado por um terrorista que se inspirou no Daesh.

O atentado aconteceu esta manhã num supermercado de Auckland. O responsável foi abatido pela polícia. Três dos feridos encontram-se em situação crítica, um apresenta ferimentos graves e outro está numa situação controlada.

A primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, classificou o ataque como "desprezível, odioso e errado". Jacinda Ardern adiantou aos jornalistas que o agressor atuou sozinho.

"Foi um ataque violento e sem sentido contra inocentes neozelandeses", disse a primeira-ministra neozelandesa, Jacinda Ardern, numa conferência de imprensa, adiantando que o "extremista" era conhecido das autoridades. A líder do Executivo descreveu o atacante como um cidadão do Sri Lanka que chegou à Nova Zelândia em 2011.

O atacante inspirou-se nas ações do grupo extremista Estado islâmico, era conhecido das agências de segurança nacionais e estava a ser monitorizado 24 horas por dia, acrescentou Ardern. No momento do ataque, o indivíduo estava a ser seguido pelas autoridades. "Era tido como uma ameaça desde 2016", mas, "por lei, não podia ser mantido na prisão", explicou.

Auckland está num estrito confinamento, uma vez que combate um surto do coronavírus. A maioria das empresas está fechada e as pessoas são geralmente autorizadas a deixar as suas casas apenas para comprar mercearias, para necessidades médicas, ou para fazer exercício.

Um vídeo de um dos clientes, gravado dentro do supermercado, regista o som de dez tiros disparados.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de