"Tragédia gigantesca." Pelo menos 18 pessoas morreram devido às chuvas fortes na Bahia

Desde novembro, o temporal já deixou mais de 35.000 desalojados em 58 municípios.

O número de mortes devido às fortes chuvas que assolam a Bahia desde novembro subiu para 18, com um novo óbito registado este domingo. O Corpo de Bombeiros da Bahia confirmou a morte de um homem de 60 anos afogado num rio, no município de Aurelino Leal, no sul do estado.

As autoridades locais informaram que o temporal já deixou mais de 35.000 desalojados em 58 municípios.

Em comunicado, a Superintendência de Proteção e Defesa Civil da Bahia (Sudec) explicou que devido à falta de informações, o número de feridos mantém-se estagnado em 286 desde o início do temporal.

"É uma tragédia gigantesca. Não lembro se na história recente da Bahia tem algo dessa proporção. É algo realmente assustador o número de casas, de ruas e de localidades completamente debaixo de água", disse o governador Rui Costa.

No total, estima-se que 430.869 pessoas tenham sido afetadas pelas chuvas. A situação tem vindo a piorar desde quinta-feira. Segundo a Sudec, na tarde deste domingo, o número de municípios em situação de emergência subiu para 72, entre os quais 58 estão em crise devido a inundações.

Forças federais e estatais, com a colaboração de outros estados como Minas Gerais, Sergipe, Espírito Santo e São Paulo, colocaram em prática, desde sábado, uma operação conjunta para auxiliar os milhares de afetados pelas inundações.

Numa mensagem em vídeo, o governador afirmou que os esforços concentram-se em "preservar a vida das pessoas", removendo-as das áreas de risco.

Os moradores foram alertados para encontrarem abrigo em lugares seguros. De acordo com a Secretaria de Infraestrutura da Bahia, cerca de 25 estradas foram interditadas ou alagadas em distintos pontos do estado, algumas por deslizamentos de terra ou pedra.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de