Três palestinianos mortos em incidentes com forças israelitas

As forças de segurança israelitas estão colocadas em cada entrada da Esplanada das Mesquitas.

Três palestinianos foram esta quinta-feira mortos pelas forças israelitas em incidentes diversos na cidade de Jerusalém leste, na Cisjordânia e na Faixa de Gaza, indicaram responsáveis policiais.

Na Cidade Velha de Jerusalém, foi abatida uma palestiniana que terá tentado efetuar um ataque com faca contra forças de segurança israelitas, indicou a mesma fonte.

Segundo a versão policial, e "intrigados" pelo comportamento da mulher numa das ruas que conduz à Esplanada das Mesquitas, vários agentes abordaram-na e nesse momento retirou uma faca do seu saco, indicou o comandante Nati Gur num vídeo publicado pela polícia, referindo que "disparou" na sua direção.

A polícia disse ainda que os serviços de emergência médica "confirmaram a sua morte quando chegaram ao local" e revelou que não existem vítima entre os agentes.

A palestiniana, com mais de 30 anos e proveniente do norte da Cisjordânia ocupada, foi identificada pelo ministério da Saúde palestiniano com sendo Issra Khozaymah.

As forças de segurança israelitas estão colocadas em cada entrada da Esplanada das Mesquitas, o terceiro lugar sagrado do islão e o mais sagrado do judaísmo conhecido por "Monte do Templo", situado em Jerusalém leste, o setor palestiniano da cidade ocupado e anexado pelo Estado judaico.

Em maio, diversos dias de distúrbios entre os palestinianos e as forças israelitas na Esplanada das Mesquitas serviram de rastilho para uma ampla revolta contra a ocupação em Israel e nos Territórios palestinianos.

Na Cisjordânia ocupada, outro palestiniano foi morto esta quinta-feira e dois feridos durante uma operação das forças israelitas na povoação de Borquin, perto de Jenin (Norte).

A polícia de fronteiras israelita disse que disparou em direção a um homem que tentou alvejar os agentes, no decurso de uma operação para "deter suspeitos e localizar armas".

Ala-a ZAyoud, 22 anos, foi atingido com quatro tiros, dois no peito, indicou o ministério da Saúde palestiniano. O movimento Jihad islâmica indicou posteriormente que era membro deste grupo armado palestiniano.

Uma pequena multidão concentrou-se na povoação de Silat al-Harithiyah, perto de Jenin, para assistir aos seus funerais, incluindo diversos homens com a cara encoberta, indicou a agência noticiosa AFP.

No domingo, um outro membro da Jihad islâmica, Oussama al-Soboh, foi morto em Borquin durante uma troca de tiros com forças israelitas envolvidas numa operação na Cisjordânia contra grupos armados. Quatro combatentes do Hamas forma mortos nesse dia.

Ainda hoje, um palestiniano de 40 anos, Mohammad Abou Amar, foi morto na Faixa de Gaza após ter recebido uma bala no pescoço, indicou o ministério da Saúde no enclave dirigido pelo movimento islamita Hamas.

O exército israelita indicou ter "detetado três suspeitos que se aproximavam da barreira de segurança no norte da Faixa de Gaza", fortemente vigiada por forças israelitas.

"Um dos suspeitos transportava uma mochila suspeita e os soldados dispararam na sua direção", indicou o exército em comunicado, indicou o exército em comunicado.

Na sequência das tensões que se iniciaram em Jerusalém leste, decorreu em maio uma guerra entre o movimento Hamas e Israel. Os confrontos fizeram 260 mortos do lado palestiniano, incluindo numerosos combatentes, e 13 mortos em Israel, incluindo um soldado, segundo as autoridades locais.

A Cisjordânia e Jerusalém leste são territórios palestinianos ocupados desde 1967 pelo Estado judaico, que desde há 15 anos impõe um bloqueio ao enclave de Gaza.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de