Autárquicas: "Se não querem escolher, não se podem queixar"

Quem não vai às urnas não tem legitimidade para, mais tarde, criticar a gestão da sua freguesia, lembra Marcelo Rebelo de Sousa.

Marcelo Rebelo de Sousa apelou ao voto nas próximo domingo, não para baixar os números da abstenção, mas porque é uma decisão que vai afetar diretamente a vida dos eleitores.

"Como é que se podem queixar - eu discordo dos transportes, eu discordo da cresce, eu discordo da escola, eu discordo daquela obra pública - não tendo ido votar? Com que legitimidade?", questionou o Presidente da República.

Os abstencionistas "deitaram fora uma arma poderosíssima: poderem escolher. Se não querem escolher, não se podem queixar da escolha que é feita pelos outros".

À margem de uma conferencia de homenagem a Henrique Medina Carreira na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, Marcelo Rebelo de Sousa defendeu ainda "mudanças claras na organização e postura dos poderes públicos".

Questionado sobre se defendia uma convergência dos ciclos eleitorais, Marcelo Rebelos de Sousa disse apenas que seria "uma questão a ser debatida".

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de