Luís Montenegro decide não se candidatar à liderança do PSD

Social-democrata justifica a decisão com "razões pessoais e políticas" e exclui apoio a outra candidatura.

Luís Montenegro não se vai candidatar à liderança do PSD nas eleições diretas do partido, com data a anunciar na próxima segunda-feira.

A decisão foi transmitida num comunicado enviado às redações, depois de o ex-líder do grupo parlamentar do PSD ter admitido, em declarações à TSF, que estava a ponderar avançar com uma candidatura à sucessão de Pedro Passos Coelho.

"Como publicamente declarei que o faria, levei a cabo uma reflexão profunda sobre a nova fase que se abriu no nosso partido com a decisão anunciada da não recandidatura do Dr. Pedro Passos Coelho", pode ler-se na nota.

"A apresentação de uma candidatura à liderança do Partido Social Democrata é uma prerrogativa que assiste a qualquer militante no pleno exercício dos seus direitos estatutários. Após a reflexão que fiz entendo que, por razões pessoais e políticas, não estão reunidas as condições para, neste momento, exercer esse direito."

Luís Montenegro acusou o Governo de não ter "uma visão estratégica" para o futuro do país. E sublinha: ainda que a esquerda "não tenha limites à sua ânsia de poder", "é determinante que o PSD não fulanize o debate interno e que seja capaz de discutir as ideias e os projetos" a apresentar ao país.

"Participarei ativamente nesse debate interno. Mas, em simultâneo, manterei total equidistância face às candidaturas que vão surgir, embora não me furtando a dar contributos e a partilhar reflexões que os candidatos aproveitarão, se assim o entenderem".

Luís Montenegro agradeceu ainda as manifestações de incentivo e apoio que recebeu no sentido de entrar na corrida, garantindo que não deixará de contribuir com o seu voto para a eleição do novo líder social-democrata.

Rui Rio é até ao momento o único social-democrata que manifestou intenção de avançar uma candidatura. Pedro Santana Lopes disse "estar a ponderar", assim como André Ventura. Paulo Rangel não abre jogo, mas também não descarta corrida à liderança.

Continuar a ler

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de