PSD

Negrão nega "silenciamento" de deputados do PSD, mas não faltam acusações

Teresa Morais, antiga vice-presidente do partido, acusa direção de Rui Rio de querer retirar protagonismo a alguns deputados e, até, de "vetar" o trabalho de quem não alinha com a atual direção.

O líder parlamentar do PSD, Fernando Negrão, nega que haja qualquer tentativa de "silenciamento" ou de"saneamento" dentro do grupo parlamentar do PSD.

A garantia foi dada depois de, durante a reunião da bancada social-democrata - que decorreu, como é habitual, à porta fechada -, terem sido ouvidas críticas à direção nacional e acusações de que a liderança de Rui Rio estará a "vetar" o trabalho de alguns deputados que não estão alinhados com a direção que sucedeu a Pedro Passos Coelho.

"Nunca silenciámos nenhum deputado e nunca recebemos qualquer instrução da direção do partido no sentido de silenciar o deputado A ou B", afirmou Fernando Negrão, no parlamento, depois de ter rejeitado prestar declarações aos jornalistas após a reunião do grupo parlamentar do PSD. "Todos os deputados podem fazer as criticas que entenderem fazer, e isso é muito saudável", acrescentou.

Segundo confirmou a TSF, uma das vozes mais criticas na reunião da bancada social-democrata foi Teresa Morais, antiga vice-presidente do partido, que terá avançado com a acusação de que há deputados "silenciados" pela atual direção, sendo afastados dos lugares de maior protagonismo e vendo, inclusive, "vetado" algum do trabalho parlamentar. Uma posição que, adiantam fontes social-democratas, terá sido acompanhada por nomes como o ex-líder parlamentar, Hugo Soares, ou Carlos Abreu Amorim, ambos críticos da atual direção nacional do partido - e também da liderança de Fernando Negrão, atual líder parlamentar.

"Não falei em meu nome pessoal para me que queixar relativamente a mim própria, mas para chamar a atenção de uma situação que afeta uma larga - mas muito larga - maioria de deputados do grupo parlamentar", disse aos jornalistas a deputada Teresa Morais, que, sem querer verbalizar aquilo que terá dito aos deputados, adiantou que prestará todos os esclarecimentos e completará todas as acusações, esta sexta-feira, através de um artigo: "Quem estiver de boa-fé e ler o artigo amanhã não terá dúvidas".

Teresa Morais, deputada e antiga vice-presidente do PSD.

Sobre esta matéria, Fernando Negrão, diz que haverá uma discussão com Rui Rio e com a direção nacional do partido, mas o líder parlamentar entende que não há espaço para quaisquer dúvidas sobre as boas intenções da atual liderança.

"Sabem bem ou tão bem como eu que houve uma mudança de direção do partido, quando há mudança os protagonistas normalmente mudam, mas isto não quer dizer que os progonistas anteriores sejam saneados. Não houve nenhum saneamento nem haverá", garantiu o líder parlamentar, que assinala, no entanto, que há deputados que, inclusive, se têm mostrado indisponíveis para representar o grupo parlamentar em determinadas situações. "Ou porque não concordam com a posição do grupo parlamentar ou do partido - o que é legítimo - ou porque não acompanharam este ou aquele dossiê desde início".

  COMENTÁRIOS