PSD rejeita "doutrinação" de crianças sobre orientação sexual e envia carta a Ferro

Fernando Negrão escreveu carta a Ferro Rodrigues sobre o anúncio de duas deputadas do BE que vão apresentar queixa contra o deputado Bruno Vitorino, do PSD, após comentários no Facebook. PSD quer assunto discutido no parlamento.

O líder parlamentar do PSD anunciou, esta quinta-feira, que enviou uma carta ao presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, em que solicita que a queixa apresentada por duas deputadas do BE - a propósito das declarações de um deputado do PSD - seja debatida na conferência de líderes parlamentares.

As deputadas Joana Mortágua e Sandra Cunha anunciaram que vão apresentar queixa na Comissão para a Igualdade de Género, isto depois de Bruno Vitorino, deputado social-democrata, ter feito uma publicação na rede social de Facebook em que apelidava de "porcaria" uma iniciativa de associações LGBTI na escola EB 2/3 Quinta da Lomba, no Barreiro, dirigida a alunos entre os 11 e os 13 anos, para "promover a igualdade de género" e "sensibilizar os alunos para as diferentes orientações sexuais".

Fernando Negrão, líder da bancada do PSD, sai em defesa do deputado, e quer levar o assunto à conferência de líderes parlamentares e ao presidente da Assembleia da República.

"No dia em que um deputado se sentir condicionado quando abrir a boca para falar porque tem receio que alguém faça uma queixa é porque estamos a matar a democracia, por isso, tomei uma posição que julgo ser de alguma força no sentido de discutir este problema", disse, sublinhando: "Pretendo uma discussão na conferência de líderes entre todos os líderes parlamentares e o presidente da Assembleia da República", referiu, após anunciar o envio de uma carta a Ferro Rodrigues.

"Esta queixa viola o direito à liberdade de expressão, que não é um exclusivo dos deputados do BE que, aliás, nele se escudam muito regularmente para expressarem as suas opiniões doutrinárias e de pouca flexibilidade ideológica", pode ler-se na carta.

Em causa está uma publicação do deputado do PSD Bruno Vitorino onde se lê: "Sensibilizar alunos de 11 anos sobre diferentes orientações sexuais? Com associações LGBTI à mistura? Que porcaria é esta? Cada um pode ser o que quiser, mas deixem as crianças ser crianças. Deixem as crianças em paz. Adultos a avançar sobre este campo junto de crianças é perverso. Isto tem que parar!", escreveu o deputado, numa publicação na rede social que motivou uma queixa por parte das duas deputadas bloquistas.

Um dia depois de ter feito a publicação - que acabou por eliminar -, o deputado justificou as palavras escritas na rede social, adiantando: "Tenho amigos homossexuais, heterossexuais, e muitos que nem sei que orientação têm ou deixam de ter. Mas não aceito este tipo de "doutrinação" nas escolas com miúdos destas idades. Ainda mais com associações totalmente duvidosas. Acho uma vergonha", escreveu.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de