"Sócrates só se pode queixar de si próprio"

António Arnaut considera que José Sócrates fez bem em sair do PS. Para o histórico socialista, o ex-primeiro-ministro "não tem de se queixar de ninguém".

O presidente honorário do Partido Socialista considera que José Sócrates "não está em condições de fazer parte dos quadros do partido" e, por isso, tomou a decisão certa ao abandonar o PS. "Por uma questão de salvaguarda da dignidade do partido ele tinha de se afastar", afirma António Arnaut.

Em declarações à TSF, o histórico socialista defende que as atitudes de Sócrates estavam a atingir o PS. "Temos um pouco de vergonha. Sentimos o nosso pudor ofendido, sentimos que a nossa dignidade e a nossa própria honra também está a ser beliscada", diz.

António Arnaut defende que o comportamento de José Sócrates nos últimos tempos "não é consonante com a ética republicana".

O antigo primeiro-ministro anunciou esta sexta-feira no Jornal de Notícias que vai deixar o partido. No artigo, José Sócrates acusa o PS de estar ao lado da Direita "na tentativa de criminalizar uma governação". António Arnaut contrapõe.

"Não é com a condenação moral que muitos camaradas de José Sócrates lhe fazem que nós estamos a fazer o jogo da Direita. Pelo contrário: fazíamos o jogo da Direita se deixássemos ficar sem uma palavra de condenação um comportamento que se afasta de todas as regras da Ética e da lisura republicana. Portanto, Sócrates não tem de se queixar de ninguém. Tem de se queixar é de si próprio", defendeu o histórico socialista.

Continuar a ler