PSD tem novas regras para as quotas. Objetivo é impedir pagamentos em massa

Rui Rio defende que esta é uma forma de impedir "que ganhe quem tem mais dinheiro."

O presidente do PSD, Rui Rio, disse esta sexta-feira que as novas regras para o pagamento de quotas são absolutamente fundamentais para garantir a transparência política dentro dos partidos e evitar que ganhe "quem tem mais dinheiro".

"Esta reforma, embora pequena - é um ajustamento administrativo - para aquilo que é a transparência política que se pretende ao nível dos partidos, acho que é absolutamente fundamental. Pode haver uma quebra na receita, mas a democracia está em primeiro lugar", defendeu Rui Rio, em declarações aos jornalistas à saída da visita à Feira de Educação, Formação, Juventude e Emprego, que decorre na Exponor, em Matosinhos.

O PSD tem, a partir desta sexta-feira, novas regras para o pagamento de quotas, com os militantes a receberem, por via postal ou eletrónica, uma referência de multibanco aleatória e apenas com validade de 90 dias. Até agora, a referência para pagamento de quotas correspondia ao número de militante, antecedido de zeros.

"Todos já ouviram histórias de que, quando há eleições nos partidos, há uma corrida ao pagamento de quotas que não é pago pelo próprio [militante], mas pelos candidatos que juntam dinheiro - e às vezes muitos milhares de euros - para que [esses militantes] possam votar. Ora isso não é minimamente aceitável, porque não se pretende que ganhe quem tem mais dinheiro. Pretende-se que ganhe quem efetivamente é escolhido", explicou.

Segundo o líder do maior partido da oposição, o sistema que entra hoje em vigor permite evitar esta situação, já que o novo programa informático gera, de forma aleatória, códigos de pagamento com validade de apenas 90 dias.

"O quer dizer que, se alguém não paga a sua quota no prazo de 90 dias, tem que pedir logo outro código. E adivinhar o código de 500/600 pessoas é absolutamente impossível. É mais fácil ganhar o euromilhões", declarou.

Segundo o que explicou fonte do PSD à Lusa, esta alteração só tem efeito prático a partir de hoje, não se aplicando aos avisos de pagamento de quotas dos meses anteriores.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de