Cantora lírica escreve nova página na história do convento onde viveu Pedro Homem de Mello

Convento de São João de Cabanas em Afife, Viana do Castelo, está a ser recuperado para ser aberto ao público como guesthouse e espaço de eventos. Investimento de um milhão de euros concluído no verão de 2023.

Nas paredes do Convento de São João de Cabanas, em Afife, Viana do Castelo, e ao seu redor, há vários painéis em azulejos azuis e brancos, com escritos de homenagem a Pedro Homem de Mello e poemas do próprio. "O rio passa em Cabanas, por entre fragas...tão lindo, que embora desça da serra, parece que vai subindo!", lê-se num deles, assinado pelo poeta, com data de 6 de setembro de 1939, época em que este ali passava temporadas.

Por estes dias, o canto lírico [e também o ruído de obras, mas isso é outro assunto] ecoa pelas paredes da igreja do convento de paredes de cor rosa velho, que vive à sombra de uma enorme magnólia e tem o correr contínuo da água como som ambiente.

Outrora habitado por monges beneditinos, o imóvel que pertenceu à família do escritor e foi casa do poeta na sua história recente, pertence agora a uma cantora lírica, natural da Suíça, que já está a escrever uma nova página para a memória futura daquele local de encantos.

Nathalie D'Ornano de 53 anos, comprou o Convento de São João de Cabanas em março de 2019 e viveu ali durante dois anos. Avançou, entretanto, com obras de remodelação para o abrir ao público como guesthouse e espaço para festas, eventos e iniciativas artísticas e culturais. A intervenção profunda, que pretende manter a traça original e as antigas funções do mosteiro, representa um investimento de cerca de um milhão de euros e deverá ser concluída em junho de 2023.

Numa das várias construções existentes na propriedade ao redor, a soprano abriu em julho o "Café de Cabanas", um espaço, junto ao caminho para Santiago de Compostela, que permite já vislumbrar a linha do projeto que pensou e que está a ser concretizado com o traço do arquiteto Fernando Cerqueira Barros.

Nathalie D'Ornano está completamente rendida a Cabanas.

"É uma história de amor. Uma folie (loucura). Fiquei completamente enamorada. De tudo. Da Natureza, do jardim, do edifício, do ribeiro e da energia que é muito boa aqui", contou, descrevendo, com um gesto de quem foi atingida por uma flecha: "Quando entrei na igreja, senti uma conexão imediata".

Confessa que o passado do convento lhe diz muito. "É uma casa inspiradora. Pedro Homem de Mello era escritor, amava música, Amália Rodrigues, dança, o folclore. Sinto-me inspirada aqui. É um lugar de criatividade. De arte. Sinto que esta é a minha missão", afirma, mostrando um vídeo seu a cantar ópera no interior da igreja do convento. "A acústica é maravilhosa", comentou.

O arquiteto Fernando Cerqueira Barros, que encarou o desafio de restaurar o imóvel, conta que o projeto lhe caiu no colo, quando foi bater à porta do convento, em busca de autorização para gravar um vídeo com a fadista Patrícia Costa, a interpretar dois fados de Pedro Homem de Mello. Recorde-se que vários fadistas, incluindo por Amália Rodrigues, cantaram escritos do poeta.

O arquiteto refere, de resto, que estar envolvido na recuperação daquele património, classificado como Imóvel de Interesse Público desde 1984, "é um privilégio". "Não só pelo edifício que é, mas por toda a história que tem", resume, descrevendo que o projeto coloca de parte "duas palavras, que são hotel e restaurante". "Será uma guesthouse, com serviço de refeições, incluindo menus diários, com produtos da quinta. Estamos a recuperar a cozinha do mosteiro", afirmou, adiantando que a escala do convento permite apenas criar cinco quartos nas antigas celas dos monges [e mais alguns em edifícios anexos]. Mas que, de resto, há muito espaço para realização de eventos como casamentos ou congressos, e as mais diversas iniciativas culturais e artísticas, desde masterclasses, concertos, cinema, literatura e até workshops de cozinha biológica com produtos cultivados nas terras do próprio convento. Além de área de cultivo de produtos agrícolas, a propriedade possui um laranjal e um roseiral.

O convento de São João de Cabanas foi fundado em 564. De arquitetura religiosa, maneirista, pertenceu à Ordem de S. Bento (1382). Foi remodelado no século 17 e mantém até hoje o mesmo perfil arquitetónico. Foi comprado em 1897 por Cunha Pimentel, antigo Governador Civil do Porto, avô de Pedro Homem de Mello.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de