Ensino articulado de teatro já arrancou para alunos do 2.º e 3.º ciclos

Curso Básico de Teatro começou para alunos do 5.º e 7.º anos mas escolas dizem que o financiamento e número de vagas é insuficiente.

À semelhança da música e da dança, o teatro passou a fazer parte da oferta formativa da escola pública, em regime articulado, neste ano letivo de 2022-2023, para os alunos do 2.º e 3.º ciclos do ensino básico.

O Curso Básico de Teatro para o 2º e 3º ciclos de ensino básico arrancou em 27 agrupamentos de escolas, segundo o Ministério da Educação, abrangendo 400 alunos, mas há quem considere o número de vagas e o valor do financiamento por aluno atribuídos pelo Ministério de Educação nesta fase de arranque insuficientes.

"Foi aportado um valor de 800 euros por aluno, para o artístico especializado de teatro, só para os 5º anos, porque o programa de contrato de patrocínio só abriu para os alunos do 5º ano, e foram muitos alunos financiados. Estamos a falar de um rácio de 150 alunos a nível nacional, quando mais de 40 escolas estão acreditadas para poder lecionar e promover este curso", revela Sílvia Correia, professora na Escola das Artes ACE e coordenadora do Curso Básico de Teatro (CBT).

Autora da proposta que conduziu à abertura do novo curso artístico especializado no âmbito da oferta educativa do ensino básico, Sílvia Correia espera que ainda este ano letivo a tutela possa abrir "um concurso adicional" para que as escolas "como a ACE - Escola de Artes, que promoveu ao longo de cinco anos a experiência pedagógica, possa continuar a lecionar este curso nas escolas de ensino regular". Se isso não acontecer, "teremos que encontrar outras formas de financiamento, inclusive com propinas dos encarregados de educação".

A Escola Básica 2, 3 de Celeirós, em Braga, foi uma das primeiras a avançar com o Curso Básico de Teatro como oferta do ensino articulado, estando em funcionamento duas turmas, do 5º e do 7º anos, respetivamente, embora apenas uma, a do 5º ano, esteja abrangida pelo financiamento do Ministério da Educação.

"Não havendo este [concurso] adicional, a Câmara de Braga comprometeu-se a assegurar o 7º ano para que os pais não paguem as propinas, por isso estamos a arrancar com o curso senão teríamos que fazer aqui um stop até termos alguma decisão", revela Célia Simões, diretora do agrupamento de escolas de Celeirós.

Indiferentes às dificuldades operacionais no arranque da nova oferta formativa, os alunos do 7º ano que frequentam o novo Curso Básico de Teatro na EB 2,3 de Celeirós manifestam grande entusiasmo com as novas aulas, em disciplinas que vão desde a "Improvisação e Movimento", "Interpretação", "Técnica Vocal" a "Técnicas de Produção Teatral", entre outras.

Melissa inscreveu-se porque gosta "muito de representação e achei que teatro ia ser divertido". A colega Lara conta que desde pequena que fazia experiências de representação "com as minhas Barbies" e, surgindo esta oportunidade, "achei que o teatro seria uma boa opção". Matilde espera que estas aulas a ajudem a "perder a vergonha" nestas aulas, enquanto o Diogo se mostra fascinado com a "possibilidade de encarnar outras personagens".

Todos os alunos, de um modo geral, expressam grande fascínio pelo teatro e, em particular pela representação, desejando ser atores e atrizes de "telenovelas". Estão ainda a descobrir todo o universo teatral, que envolve atores e atrizes mas também cenógrafos, produtores, sonoplastas, entre outros profissionais.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de