088. O devedor que fez a Caixa perder 542 milhões

Banco de Portugal revela que CGD tinha 28 grandes devedores na última vez que recebeu dinheiro do Estado. Números foram revelados, mas nomes continuam secretos.

O número de grandes devedores da Caixa Geral de Depósitos (CGD) não parou de crescer entre 2007 e 2017, datas da primeira e última injeção de dinheiro do Estado no banco público. A conclusão retira-se da leitura da lista (anónima) de grandes devedores da banca portuguesa agora publicada pelo Banco de Portugal.

Em 2007 e 2008 eram apenas dois os grandes devedores da CGD, em 2009 três, em 2010 seis, em 2012 dezassete e em 2017 o número dispara para 28 com imparidades (perdas potenciais) de 1.672 milhões e perdas efetivas de 1.910 milhões.

Os números anteriores referem-se não apenas a empresas, pessoas ou outras entidades a quem a CGD emprestou dinheiro, mas também a entradas do banco público no capital de empresas que não correram bem.

Os nomes nesta lista são secretos, mas dá para perceber que apenas um devedor, identificado no documento com o número "088", gerou à CGD 542 milhões de euros de perdas efetivas, ou seja, 40% do total de 1.334 milhões de euros perdidos em créditos. O devedor em causa tinha apresentado garantias pessoais e com ativos financeiros.

​​​​​​Como o "088" não se repete nas listas de grandes devedores de outros bancos ajudados pelo Estado na última década dá para perceber que esse nome, anónimo, só causou prejuízos à Caixa e a mais nenhum banco.

Novo Banco com perdas de 3.542 milhões

Quanto ao Novo Banco (NB), o outro banco a receber recentemente uma injeção de dinheiro do Estado, em junho de 2018 a instituição financeira tinha 35 grandes devedores com imparidades de 2.420 milhões de euros e perdas efetivas de 3.542 milhões de euros.

Tal como na CGD no NB o valor das imparidades, perdas e o número de grandes devedores tiveram sempre uma tendência crescente desde as duas primeiras injeções de capital público em 2014 até à última em 2018.

À data da primeira injeção de capital do Estado, em junho de 2014, o NB contava 11 grandes devedores; na segunda em dezembro de 2014 já se contavam 21; e em junho de 2018 chegava aos 35.

Uma lista sem nomes

Esta informação foi agora divulgada pelo Banco de Portugal no seguimento de uma nova lei que obriga o banco central a revelar a lista agregada dos grandes devedores dos bancos que recorreram a ajuda pública nos últimos 12 anos.

Cada tabela mostra uma espécie de 'fotografia' a cada banco nos diferentes momentos em que receberam apoios públicos.

Apesar da contestação de vários deputados, a informação é anónima, cada devedor é identificado por um código e não pelo nome.

Em causa estão devedores da CGD, BES/Novo Banco, Banif, BPN, BCP, BPI e BPP.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de