Novo Banco dá prémio de 2 milhões a gestores depois de prejuízo de 1300 milhões

Prémio só será pago em 2022 - se chegar a acontecer.

O Novo Banco decidiu atribuir um prémio de 1,9 milhões de euros à equipa de gestão liderada por António Ramalho, depois de ter registado um prejuízo de mais de 1,3 mil milhões de euros em 2020.

A decisão consta do relatório e contas do banco comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, noticiado pelo Expresso e lido também pela TSF.

No documento, lê-se que "para o ano de 2020, a Remuneração Variável foi atribuída condicionalmente, sujeita a verificação de condições diversas, de 1.860 milhões de euros aos membros do Conselho de Administração Executivo".

O relatório explica que o prémio "teve como base o desempenho individual e coletivo de cada membro, avaliado pelo Comité de Remunerações" e realça que o bónus "foi totalmente diferido e não haverá pagamentos até ao final do período de reestruturação na data atualmente definida como 31 de dezembro de 2021".

O Novo Banco acrescenta que o prémio pode não acontecer: "Não existe qualquer certeza quanto ao valor final da remuneração variável ou quando os pagamentos serão efetuados", explicitando que "o valor pode ser inferior ao montante atribuído ou mesmo zero, dependendo dos indicadores financeiros do Banco".

Quanto à remuneração fixa, em 2020 o conselho de administração do Novo Banco auferiu 2,6 milhões de euros. O presidente António Ramalho teve um vencimento anual de 400 mil euros.

Em 2020 o Novo Banco teve um prejuízo de 1,3 mil milhões de euros e pediu uma injeção de quase 600 milhões ao Fundo de Resolução.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de