Vistos gold. "Não há qualquer perturbação que justifique cancelamento de negócios"

Tiago Antunes, secretário de Estado Adjunto do primeiro-ministro, espera que não se introduza "qualquer alteração em eventuais negócios que estejam em curso".

Tiago Antunes, secretário de Estado Adjunto do primeiro-ministro, diz não ter conhecimento de contratos que tenham sido suspensos ou cancelados devido às novas regras que entrarão em vigor com o Orçamento do Estudo.

"Foi previsto que, para não afetar eventuais situações em curso, que estas alterações, que são perfeitamente justificadas e fazem todo o sentido, pudessem entrar em vigor apenas no início do próximo ano."

O secretário de Estado espera que os esclarecimentos fornecidos pelo Executivo possam conferir alguma tranquilidade ao mercado imobiliário. Tiago Antunes frisa, portanto, que é "preciso espalhar esta mensagem, que, pelos vistos, ainda não é suficientemente conhecida".

Para o membro do Governo, esta são "alterações que fazem sentido" e que se deveram ao estado do mercado da habitação. Tiago Antunes espera que não se introduza "qualquer alteração em eventuais negócios que estejam em curso".

"É preciso dar a conhecer isso e explicar ao mercado que não há qualquer perturbação que justifique o cancelamento de negócios que tivessem em perspetiva. O que há é um período de ajustamento até ao final do ano para as novas regras entrarem em vigor."

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de