André Ventura diz que se demite da liderança do Chega se Ana Gomes tiver mais votos

Líder do Chega diz que a ex-eurodeputada socialista representa o "absoluto contrário" da sua candidatura.

André Ventura garante que se demitiria da liderança do Chega caso Ana Gomes ficasse à sua frente nas eleições presidenciais, em janeiro de 2021.

O reeleito presidente do Chega reagiu nas redes sociais à confirmação da candidatura a Belém da antiga eurodeputada.

Ventura diz que Ana Gomes só entra na corrida para tentar evitar a sua vitória e descreve-a como "histérica, obcecada com os seus inimigos de estimação, amiga das minorias subsidiodependentes".

Também em declarações à agência Lusa, André Ventura afirma-se seguro de que Ana Gomes "não chegará à segunda volta" das eleições a Presidência da República. "Disputarei a segunda volta com Marcelo Rebelo de Sousa e será a segunda volta mais espetacular da nossa história democrática."

Para Ventura, a ex-eurodeputada socialista representa o "absoluto contrário" da sua candidatura. "Numa certa metáfora, Ana Gomes é a candidata cigana destas Presidenciais. Eu sou o português comum", disse à Lusa. "É a representante fiel das minorias que não trabalham e dos coitadinhos que clamam o racismo dos portugueses."

Ana Gomes colocou pela primeira vez como hipótese entrar na corrida ao Palácio de Belém em 17 de maio, dizendo que iria refletir sobre esse passo, embora não ambicionasse ser candidata. Confirmou esta terça-feira a intenção de se candidatar e remeteu para quinta-feira o anúncio oficial.

Junta-se a André Ventura e Marisa Matias na corrida a Belém, enquanto o atual Presidente, Marcelo Rebelo de Sousa, remeteu a decisão de uma eventual recandidatura para novembro.

No PS, a candidatura de Ana Gomes já recebeu o apoio do antigo líder parlamentar e ex-eurodeputado Francisco Assis e do líder da tendência minoritária na Comissão Política socialista, Daniel Adrião.

André Ventura, que foi reeleito no sábado presidente da Direção Nacional do Chega, como candidato único, com 99,1% dos votos. O partido vai eleger os restantes novos órgãos sociais na sua II Convenção Nacional, marcada para os dias 19 e 20, em Évora.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de