Barbosa Ribeiro recusa comentar Tancos: "Processo não me diz diretamente respeito"

O deputado socialista Tiago Barbosa Ribeiro juntou-se à campanha do PS e não quis alongar-se sobre o processo no qual se viu envolvido devido a uma alegada mensagem de Azeredo Lopes.

Tiago Barbosa Ribeiro, o deputado que terá recebido o SMS de Azeredo Lopes que confirmava que sabia da recuperação do material roubado de Tancos, surgiu na campanha do PS e garantiu que não sabe nada sobre o processo e que não foi ouvido nem contactado pelas autoridades.

"Não tenho nenhum comentário a fazer sobre esta matéria. É um processo judicial, o que conheço sobre ele tem vindo a ser veiculado pela comunicação social", começou por dizer o deputado socialista.

Barbosa Ribeiro frisou que se trata de um processo no qual não está envolvido. "É um processo que não me diz diretamente respeito portanto não tenho nada a acrescentar relativamente a esta matéria", acrescentou.

O deputado socialista garantiu que está ao lado do PS e que esteve na arruada na Rua de Santa Catarina, no Porto, apesar de esta informação não ter sido possível de confirmar, já que não foi visto no local.

"Estou aqui para fazer campanha pelo PS, para ajudar ao reforço do PS", realçou.

A presença de Barbosa Ribeiro e o regresso de Costa às ações de campanha de rua marcaram a arruada na Praia da Aguda. Na marginal, o líder socialista foi avançando ao ritmo de gritos alusivos ao PS comandados por Adélia Oliveira, a presidente da comissão de festas da Praia da Aguda.

Entre beijos, abraços e fotografias, a mulher que mais pede o apoio dos socialistas aconselha uma gemada a António Costa, já que o secretário-geral do PS não tem estado a 100%.

Ainda antes de qualquer mezinha, Costa admite que está melhor e que o que interessa são os votos no PS e os próximos anos. "Vamos seguir em frente, confiamos nos médicos e nos enfermeiros que felizmente me recuperaram e, agora, mais quatro anos, estou pronto para quatro anos", disse durante o contacto com a população.

Questionado sobre a possibilidade de uma maioria reforçada, Costa afirmou que "os portugueses é que vão decidir qual é a forma". "Precisamos que o PS tenha a maior votação possível para garantir quatro anos de estabilidade", acrescentou.

Chega de perguntas e é hora de seguir caminho e ouvir mais uma história. Costa pára ao lado de Gilberta Simões.

"O custo com transporte, com saúde, com alimentação. Sabe quanto custa um curso no Ensino Superior nos Estados Unidos para o filho de um português? Custa 60 a 70 mil dólares por ano", conta o secretário de Estado das Comunidades, José Luís Carneiro, que seguia ao lado de Costa.

"Há dinheiro que não paga estarmos à beira dos nossos pais", diz Gilberta.

Os governantes querem trazer Gilberta e a família para Portugal, tal como outros portugueses que pretende regressar. No bolso, José Luís Carneiro leva um panfleto do PS com o número de telemóvel de Gilberta e promete não esquecer o caso.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de