Confagri defende manutenção do Ministério da Agricultura

Confederação Nacional das Cooperativas Agrícolas e do Crédito Agrícola de Portugal saiu em defesa dos interesses do setor agrícola.

A Confederação Nacional das Cooperativas Agrícolas e do Crédito Agrícola de Portugal (Confagri) defendeu esta segunda-feira a manutenção do Ministério da Agricultura e da Comissão da Agricultura na Assembleia da República.

"Superado o período eleitoral, a Confagri, em defesa dos interesses do setor agrícola, pretende deixar claro que considera essencial a manutenção do Ministério da Agricultura, das Florestas e do Desenvolvimento Rural, bem como da Comissão da Agricultura na Assembleia da República", indica a Confagri em comunicado.

A confederação refere que "o debate sobre a agricultura portuguesa, a floresta e o desenvolvimento socioeconómico das áreas rurais, deverá assumir grande relevo na próxima legislatura".

No comunicado, a Confagri manifesta também a "total disponibilidade para dialogar com o futuro Governo, bem como com as forças partidárias que integram o novo parlamento, na procura das soluções que garantam uma atividade agrícola e agroalimentar sustentável" em Portugal.

A confederação enumera ainda algumas das questões que considera que "conduzirão a acesos debates na sociedade portuguesa", tais como a mitigação dos efeitos das alterações climáticas, o futuro da alimentação, a soberania alimentar, o ordenamento dos espaços florestais ou a distribuição dos incentivos à atividade agroalimentar pós 2020.

Estas são questões que "exigem opções escrutinadas, ponderadas e responsáveis por parte dos decisores políticos", frisou a confederação.

O PS venceu as legislativas de domingo, sem maioria absoluta, seguindo-se PSD, BE, CDU (PCP/PEV), CDS-PP e PAN. Chega, Iniciativa Liberal e Livre elegeram, cada um, pela primeira vez, um deputado nestas eleições.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de