Jurisdição do CDS dá razão a Nuno Melo. Conselho Nacional em risco

Candidato à liderança do partido queria impedir que o Conselho Nacional adiasse as eleições internas.

O Conselho Nacional do CDS previsto esta sexta-feira, pode não realizar-se. Ao que a TSF apurou, o Conselho Nacional de Jurisdição decidiu - com quatro votos a favor e três contra - aceitar o pedido de impugnação promovido por Nuno Melo para impedir a realização da reunião que podia decidir o adiamento do Congresso do partido.

A decisão tem por base o desrespeito pelos prazos legais para a convocatória da reunião, mas o atual presidente do partido, Francisco Rodrigues dos Santos, está a tentar que o Conselho Nacional se reúna ainda na noite desta sexta-feira.

A reunião marcada para o final desta tarde e convocada com caráter de urgência a pedido de Rodrigues dos Santos tinha uma ordem de trabalhos com dois pontos: "deliberação sobre a realização do XXIX Congresso Nacional" e "análise da situação política".

Na noite desta quinta-feira, o candidato à liderança do partido, Nuno Melo acusou Rodrigues dos Santos e a direção de tentarem levar a cabo um "golpe de estado institucional" no partido. Na origem das críticas esteve a marcação de um Conselho Nacional extraordinário para desconvocar o Congresso eletivo do partido, agendado para daqui a um mês.

"Até em 1975, debaixo de fogo, o CDS realizou o seu Congresso", assinalou o candidato. "Não é agora, chegados a 2021, que vamos expropriar os militantes da sua capacidade de decidirem o que querem em relação ao seu futuro", defendeu Nuno Melo.

Notícia atualizada às 19h40

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de