Costa diz que não duvida da "total lealdade" dos chefes dos ramos das Forças Armadas

O CDS questionou o primeiro-ministro sobre a recente polémica em torno da proposta de exoneração do Chefe do Estado-Maior da Armada.

O primeiro-ministro afirmou hoje não duvidar da "total lealdade dos chefes militares", depois de questionado sobre a polémica em torno da intenção do Governo de propor a exoneração do Chefe do Estado-Maior da Armada.

No debate sobre política geral, que decorre esta tarde na Assembleia da República, António Costa foi questionado pelo CDS-PP sobre o assunto, começando por afirmar que "houve de facto alguns equívocos que estão felizmente todos sanados".

"Quanto à sua pergunta, não tenho a menor das dúvidas em responder, sobre a total lealdade dos chefes militares aquilo que é a legalidade democrática e aquilo que são as decisões tomadas por esta Assembleia da República", afirmou.

O primeiro-ministro disse ainda que não lhe "passa pela cabeça" nem tem "a menor dúvida que qualquer um dos chefes militares dará execução aquilo que foi a legislação aprovada pela Assembleia da República".

Na sua intervenção, o deputado Pedro Morais Soares questionou António Costa se "este lamentável episódio não condiciona a plena execução da nova Lei de Defesa Nacional e da LOBOFA [Lei Orgânica de Bases da Organização das Forças Armadas] por parte dos chefes dos ramos e se os atuais chefes dos ramos estão todos em sintonia para a execução das mesmas reformas que são urgentes e fundamentais para as Forças Armadas".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de