Costa para Ventura: "O senhor tem um problema que já foi de trivela. Levou baile do Quaresma"

António Costa e André Ventura envolveram-se numa troca de argumentos, já depois de Catarina Martins ter criticado uma proposta do Chega.

O debate quinzenal desta quinta-feira fica marcado pelo trio atacante André Ventura, Catarina Martins e António Costa. Todos trocaram argumentos em jeito de ataque, mas foi Costa quem saiu vencedor com a ajuda de Ricardo Quaresma. Houve "caixotes do lixo", "trivelas" e "bailes", no Parlamento, e tudo por causa de uma proposta do Chega que quer um confinamento específico da comunidade cigana.

Questionado por André Ventura, o primeiro-ministro garantiu que em Portugal "não há problemas com a comunidade cigana", acrescentando: "Temos é problemas com pessoas que cumprem ou não cumprem as normas sanitárias. A resposta, qualquer que seja a etnia, local de vida, origem, religião ou raça, é que a lei deve ser cumprida."

André Ventura insistiu na pergunta e o chefe de Governo foi perentório: "Não há um problema com a comunidade cigana, o senhor deputado é que tem um problema que já foi de trivela", afirmou Costa, numa referência às críticas de Ricardo Quaresma à proposta do Chega para confinar a comunidade cigana.

O primeiro-ministro prosseguiu na resposta a André Ventura, o único deputado do Chega. "Resolveu criar um caso com uma parte dos portugueses como se fossem uma comunidade estrangeira e o que teve foi uma resposta à altura de um grande campeão nacional e de um grande jogador da nossa Seleção."

António Costa conclui, dizendo que André Ventura tem mau perder. "Depois de levar baile do Quaresma foi dizer que sendo jogador da Seleção nacional só tinha obrigação de estar calado. Não, o direito à palavra e à opinião é um direito de todos", atirou o primeiro-ministro.

"Mais rápido a bancada do BE vai toda para o caixote do lixo"

Catarina Martins, do Bloco de Esquerda, também criticou antes a proposta apresentada por André Ventura e saudou a resposta de Ricardo Quaresma. O deputado do Chega respondeu à líder do Bloco de Esquerda no início da sua intervenção no debate quinzenal. Ventura afirmou que "mais rápido a bancada do Bloco de Esquerda vai toda para o caixote do lixo".

O líder demissionário do Chega garantiu, na quarta-feira, que "não voltará atrás" na proposta para um plano específico de "abordagem e confinamento" para as comunidades ciganas e que apresentará essa iniciativa mesmo sem apoio de outros partidos políticos.

Em declarações aos jornalistas na Assembleia da República, em Lisboa, Ventura afirmou que não voltaria "atrás nesta proposta" e que já estava a estabelecer contactos com PSD, CDS e Iniciativa Liberal para que esta proposta vá avante, visto que considera que "é necessário uma abordagem específica ao caso da comunidade cigana em Portugal", tendo pedido reuniões aos líderes daqueles três partidos.

Ideias racistas "vão para onde de nunca deviam ter saído"

Antes, a líder do BE dirigiu-se a André Ventura para considerar "inqualificável" a proposta de confinar a comunidade cigana.

"Permita-me que, antes do debate, faça uma nota. Às vezes há uma linha ténue demais entre ignorar para não dar visibilidade à atrocidade ou, pelo silêncio, consenti-la. André Ventura fez uma proposta inqualificável de decidir confinamento de pessoas, tendo em conta a sua origem étnica", afirmou Catarina Martins no arranque da sua intervenção no debate quinzenal.

Catarina Martins considera que o Chega "não só tem opiniões repugnantes", como André Ventura tem "a cobardia" de querer calar quem a ele se opõe, referindo-se à reação do líder do Chega às declarações de Quaresma.

Na perspetiva da líder bloquista, André Ventura "teve a resposta que devia por um campeão português", referindo-se novamente a Ricardo Quaresma.

Dirigindo-se diretamente a André Ventura, Catarina Martins prometeu lutar pelo direito do deputado "a ter opiniões sobre futebol", embora também garanta que vai batalhar "para acabar com a pouca vergonha de receber vários salários além do de deputado".

"E, no que disser respeito ao Bloco, fique certo de que as suas ideias racistas hão de ir parar ao caixote de lixo de onde nunca deviam ter saído", avisou ainda Catarina Martins.

"Há manifestas inconstitucionalidades"

Em entrevista à TSF na quarta-feira, Paulo Mota Pinto, professor de direito constitucional e também dirigente do PSD, defendeu que, do ponto de vista jurídico, a proposta do Chega é contra a lei fundamental.

"Ele tentou logo dizer que esta era uma medida de proteção. E também dizendo que não havia nenhuma violação do princípio de igualdade. Parece-me evidente que há aqui uma manifesta inconstitucionalidade pela discriminação em razão da origem étnica", diz o constitucionalista.

O também presidente do Congresso do PSD é taxativo na resposta que a proposta de André Ventura deve merecer do partido de que faz parte, ou seja, um não. Mota Pinto considera que Ventura está a seguir um caminho que não merece ter a companhia do Partido Social Democrata.

Também na quarta-feira, várias associações e figuras públicas, incluindo Francisco Louçã, Ana Gomes e Ricardo Quaresma, subscreveram um abaixo-assinado a repudiar as declarações do deputado do Chega sobre a comunidade cigana.

Através de uma publicação na sua conta oficial da rede social Facebook, o futebolista Ricardo Quaresma criticou que "o populismo racista do André Ventura apenas serve para virar homens contra homens em nome de uma ambição pelo poder, que a história já provou ser um caminho de perdição para a humanidade".

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de