"Dia histórico." Parlamento aprova honras de panteão a Aristides de Sousa Mendes

Projeto de resolução apresentado por Joacine Katar Moreira reúne consenso no parlamento para a homenagem a Aristides de Sousa Mendes. Deputada fala em "dia histórico" num debate a que faltou André Ventura.

"Este é um dia histórico". Foi desta maneira que Joacine Katar Moreira encerrou o debate sobre o projeto de resolução apresentado por ela para a concessão de honras do Panteão Nacional a Aristides de Sousa Mendes. Com a presença nas galerias da família do antigo cônsul que salvou milhares de vidas na segunda guerra mundial, os partidos sinalizaram o consenso para honrar a memória de "um herói".

Na apresentação do projeto, Joacine Katar Moreira sublinhou a necessidade de "o Estado Português reconhecer a Aristides de Sousa Mendes o que o Estado fascista não reconheceu". E de todas as bancadas se ouviram elogios ao antigo cônsul.

Desde logo, o Partido Socialista lembrou que "num momento em que de novo na Europa e no mundo assistimos ao exacerbar de extremismos, ao recrudescimento do antissemitismo, ao fecho de fronteiras, de solidariedade e humanidade a quem procura sobreviver a conflitos e perseguições, a mensagem de Aristides Sousa Mendes deve ser convocada em toda a sua atualidade e autoridade para nos mostrar os caminhos a trilhar e para iluminar de novo o caminho".

Pedro Delgado Alves, na tribuna, deixou ainda um comentário que pode ser lido como uma farpa dirigida a André Ventura, ausente deste debate, sublinhando que a defesa destes valores e a preservação da memória "não se faz apenas com evocações justas e cerimónias bonitas". "Constrói-se dando combate sem tréguas ao antissemitismo e à discriminação religiosa e étnica, denunciando quem rejeita, por vezes a partir desta mesma tribuna, os valores humanistas comuns aos clássicos da Antiguidade, ao pensamento judaico-cristão, à tradição das Luzes e às ideias emancipadoras de vários quadrantes ideológicos que foram libertando a humanidade ao longo dos últimos dois séculos e meio".

Também o Bloco de Esquerda, na voz de Beatriz Gomes Dias, vincou que Aristides de Sousa Mendes é uma das pessoas que lembra a sociedade da "necessidade da insubmissão e de nos levantarmos contra a injustiça".

Já o social-democrata Fernando Ruas fez questão de sublinhar que, assim a família seja consultada, o PSD acompanhará este projeto de resolução. Bem como o PCP que, lembrando que as "honras não devem ser banalizadas", mas que no caso de Aristides o partido entende que "a Assembleia da República deverá aceder a esta proposta". Na intervenção no hemiciclo, o deputado António Filipe lembrou ainda que Aristides sofreu às mãos de Salazar "que não era neutral", mas "aliado da Alemanha nazi".

Sobre esta que é a primeira vitória política de Joacine Katar Moreira no parlamento, o CDS também fez questão de frisar que Aristides de Sousa Mendes foi "um herói" e que, por isso, "merece honras de panteão". Declaração acompanhada pela Iniciativa Liberal cujo deputado único, João Cotrim de Figueiredo, também frisou o "heroísmo" de Aristides.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de