Duplicaram os pedidos de voto antecipado... e ainda tem um dia para se inscrever

A Câmara do Porto, que organiza o voto antecipado no distrito do Porto, teme a "morte prematura" do sistema que está a atrair muito mais portugueses para votarem, sem restrições, antes do dia das eleições.

Disparou o número de eleitores que estão a pedir para votar antecipadamente nas eleições legislativas de 6 de outubro. Nas últimas eleições europeias, a primeira vez em que este voto antecipado foi possível para qualquer pessoa, sem necessidade de justificações, inscreveram-se 19.584 eleitores. Agora, em apenas três dias (de domingo a terça-feira), já se inscreveram 37.440, faltando conhecer os números desta quarta-feira e quinta-feira.

Se estiver em Portugal, a possibilidade de se inscrever para votar antecipadamente já no domingo, 29 de setembro, acaba esta quinta-feira. Ainda pode inscrever-se aqui.

Governo quer evitar filas

Em maio, nas Europeias, o novo sistema gerou longas filas, queixas e o Ministério da Administração Interna prometeu mudanças como mais mesas de voto e espaços com maior dimensão nas duas maiores cidades. Mais de 8.595 eleitores inscreveram-se em maio para votar antecipadamente no distrito de Lisboa e agora já são 14.616. No Porto a subida é de 3.014 para 6.224.

Câmara do Porto teme problemas

Esta semana a Câmara do Porto voltou a insistir que está preocupada com a forma como vai organizar este voto antecipado no próximo domingo (são as autarquias capitais de distrito que, por lei, organizam este processo).

Numa carta enviada à Secretaria-Geral do Ministério da Administração Interna a 3 de setembro, a que a TSF teve acesso, a autarquia portuense já criticava a falta de mudanças para evitar queixas que se registaram nas europeias.

A Câmara do Porto diz que uma vez conhecido o número final de eleitores inscritos por lei o presidente da autarquia tem apenas 24 horas para encontrar centenas de delegados, num "suposto sorteio entre os seus munícipes".

A legislação não explica "como se notificam os referidos delgados a um sábado e como se obrigam a participar no processo eleitoral que desconhecem".

Dizendo que a lei foi feita de forma "descuidada", a Câmara do Porto teme "a morte prematura do princípio do voto antecipado por mobilidade".

A TSF tentou saber se a Câmara de Lisboa tem as mesmas preocupações da Câmara do Porto, mas até ao momento não obteve qualquer resposta.

Para saber tudo sobre o voto antecipado clique aqui.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de