"É inaceitável." Marcelo condena Venezuela por suspender voos da TAP

O Presidente da República repudiou a atitude de Caracas e classificou como incompreensível a suspensão dos voos da companhia aérea portuguesa para a Venezuela.

Marcelo Rebelo de Sousa afirmou, esta manhã, que estão a ser dirigidos "ataques à TAP e a Portugal", sem "o mínimo de fundamento". Em declarações aos jornalistas, no Palácio de Belém, o Presidente da República considerou que a posição do Governo de Nicolás Maduro é "injusta" e acarreta "efeitos reputacionais" para a companhia aérea e para o país.

"Na ótica do Governo, na ótica do Presidente da República e na ótica de Portugal, é totalmente inaceitável e incompreensível e, portanto, não pode deixar de ser repudiado", declarou.

Na segunda-feira, o Governo venezuelano anunciou a suspensão por 90 dias das operações no país da companhia aérea portuguesa TAP, "por razões de segurança", após acusações de transporte de explosivos num voo oriundo de Lisboa, no qual viajou Juan Guaidó.

O ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, revelou à TSF, esta manhã, que já foram acionados, na noite de segunda-feira, os meios diplomáticos para reverter a decisão do Governo de Nicolás Maduro.

"Não há nenhuma coisa que a TAP tenha feito que justifique essa medida. Não considero aceitável", defendeu o ministro, que admitiu ainda que as relações entre os dois países "já foram melhores".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de