"É um provocador mentiroso." Costa exalta-se com popular e é afastado à força

No Terreiro do Paço, em Lisboa, Costa precisou de ser afastado - à força - de um popular.

O secretário-geral do PS, António Costa exaltou-se com um popular que o confrontou no Terreiro do Paço, em Lisboa. A conversa começou por ser amigável mas a conversa depressa "azedou".

O homem não identificado começou por dizer que sempre votou PS "independentemente das pessoas que lá estão".

O problema começou de seguida: disse que neste momento estava "relutante" e questionou António Costa sobre os incêndios de Pedrógão Grande, acusando o primeiro-ministro de estar nas suas "merecidas férias" e de não se ter deslocado ao local.

Costa não gostou, respondeu que essa afirmação era "mentira" e que interrompeu as férias para se deslocar a Pedrógão.

"No dia 18 de junho eu estava lá!", retorquiu o primeiro-ministro.

"É um provocador mentiroso", continuou Costa enquanto avançava em direção ao homem.

O secretário-geral do PS teve ser agarrado pelos membros do corpo de segurança, acabando por ser afastado à força.

"É vergonhoso quando a direita recorre a golpes tão baixos"

Depois do momento de exaltação com o popular, o primeiro-ministro disse que esta "é uma mentira que tem sido repetida" e que este homem foi "plantado".

"Eu estava cá e estive no meu lugar nas minhas funções", adiantou aos jornalistas.

António Costa atribuiu a culpa do incidente à direita: "É vergonhoso quando a direita recorre a golpes tão baixos."

O primeiro-ministro sublinhou que este momento "marca, seguramente" a campanha e que demonstra "quem plantou aquele senhor para fazer aquilo".

"Há limites para tudo" disse António Costa, "mesmo para uma pessoa calma e serena", acrescentou.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de