Carlos César quer Lei de Bases da Saúde aprovada "sem partidarite"

O presidente do PS deixou recados aos parceiros da esquerda num jantar com militantes em Viseu. As Jornadas Parlamentares do PS terminam amanhã.

O presidente do Grupo Parlamentar do PS, Carlos César, desafiou esta noite os partidos a colocarem a "partidarite" de lado para aprovaram a nova Lei de Bases da Saúde.

O repto, em jeito de crítica às forças políticas da esquerda, foi lançado num jantar com autarcas socialistas de Viseu no âmbito das jornadas parlamentares do partido, que decorrem até amanhã.

"Leis como estas só não serão aprovadas se os partidos colocarem a partidarite e os seus interesses próprios e eleitorais à frente da organização de um sistema de saúde que privilegie as pessoas e na liderança dos quais esteja a responsabilidade do Estado", afirmou Carlos César.

No final da legislatura, o líder da bancada parlamentar socialista sustentou que o PS tem negociado com todas as forças políticas em todas as matérias relevantes para o país, dando como exemplo o processo de descentralização, que classificou como positivo.

"Devemos ter consciência de que um processo de descentralização desta natureza é um processo de anos. Deve demorar anos, deve ser profundamente refletivo e faseado de acordo com as capacidades das administrações e também dos desafios com que agora são confrontados", disse, acrescentando que não se deve temer a desagregação do Estado com a delegação de competências.

Com as eleições legislativas à porta, Carlos César fez também um apelo ao voto no PS que, defendeu, é o partido responsável por o país ter recuperado a confiança cá dentro e lá fora.

"Recuperámos a confiança e estas próximas eleições devem constituir sobretudo uma manifestação por parte dos portugueses nessa base de confiança. Devem ser um sufrágio sobre a confiança, que hoje é liderada no nosso país político pela representação e ação do Partido Socialista", concluiu.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de