Jerónimo cede protagonismo a deficientes para demonstrar difíceis acessos nos transportes

Jerónimo de Sousa viajou de comboio entre a Amadora e Lisboa para reclamar melhores acessibilidades dos cidadãos com deficiência aos transportes públicos. O líder comunista diz que ainda se tratam estas pessoas como "coitadinhos" quando se trata de um direito universal.

O líder do PCP cedeu este domingo o protagonismo na campanha eleitoral aos cidadãos deficientes ou com dificuldades de mobilidade e aos seus problemas de acessibilidades e barreiras arquitetónicas no sistema de transportes públicos, em Lisboa.

"É uma matéria difícil, nem sempre entendida, como se estivéssemos a lidar com coitadinhos. Estas pessoas com deficiência, em nome da sua dignidade, apenas reclamam direitos universais. A mobilidade e a acessibilidade são fundamentais", disse Jerónimo de Sousa, após uma viagem de comboio entre a Amadora e Sete Rios, acompanhado por pessoas em cadeira-de-rodas.

O secretário-geral comunista garantiu que a Coligação Democrática Unitária (CDU), que reúne PCP e o Partido Ecologista "Os Verdes", vai continuar a tentar resolver estes problemas, "depois das eleições de 06 de outubro, na próxima Assembleia da República".

Na breve sessão pública integrada na ação de campanha, após a viagem, estiveram presentes representantes da Associação dos Cegos e Amblíopes de Portugal - ACAPO, Associação Portuguesa de Deficientes, Confederação Nacional dos Organismos de Deficientes e Associação de Paralisia Cerebral de Lisboa.

"Os protagonistas foram vocês. Esperemos que a comunicação social transmita. Desta vez, não me importo que não passem as imagens da iniciativa, mas deem o protagonismo a quem deve ser dado que são as pessoas com deficiência, que lutam e persistem por uma vida melhor em termos de acessibilidades", afirmou Jerónimo de Sousa, dirigindo-se à plateia com pessoas de mobilidade reduzida e invisuais.

Uma das protagonistas elogiadas pela sua coragem pelo líder comunista foi Susana Sezudo, profissional de seguros de 42 anos e vítima de um acidente de viação na adolescência que a colocou numa cadeira-de-rodas, algo que não a impede de ser a 26.ª na lista de candidatos da CDU por Lisboa às eleições legislativas.

Entre as grandes dificuldades diárias com que se depara está o pronunciado declive das rampas de acesso à estação comboios da Amadora, além dos elevadores avariados em diversas outras estações e paragens de transportes públicos.

Mesmo para utilizar o comboio, Susana Sezudo tem de avisar a CP -- Comboios de Portugal até 12 horas antes para haver uma carruagem dedicada, com rampa que permita entrar e sair da plataforma de embarque.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de