Costa induzido em erro. Ministra da Saúde pede desculpa por números trocados

Marta Temido transmitiu ao primeiro-ministro a informação errada sobre o tempo de espera para a primeira consulta de cardiologia no hospital de Padre Américo, esta quarta-feira, durante o debate quinzenal.

A ministra da Saúde pediu desculpas à deputada do CDS Cecília Meireles por ter transmitido ao primeiro-ministro informação errada sobre o tempo de espera para a primeira consulta de cardiologia no hospital de Padre Américo.

"Em meu nome pessoal, apresento as minhas desculpas à Sra. Deputada Cecília Meireles do CDS PP, na medida em que fui eu que ontem, inadvertidamente, induzi em erro o Sr. Primeiro-Ministro, quanto aos doentes e dias de espera na especialidade de cardiologia no Centro Hospitalar Tâmega e Sousa, que de facto, se reduziram para metade, não no número de dias, porque esses foram para 800 dias, mas para o número de doentes em espera por uma consulta", disse Marta Temido, suscitando um "Ohhh" irónico na bancada do PSD e do CDS e aplausos de apoio na bancada do PS.

O mea culpa da ministra da Saúde surgiu depois da troca de números que ontem ocorreu durante o debate quinzenal. A líder parlamentar do CDS, Cecília Meireles, criticou o tempo de espera para a primeira consulta de cardiologia de 1 482 dias no hospital de Padre Américo. Na resposta, António Costa contestou o dado, considerando que este se encontrava "desatualizado", sendo o número certo ser "593 dias".

Quatro horas depois do debate, o Ministério da Saúde corrigiu a informação: afinal o número "593" não se referia ao número de dias, mas sim ao número de doentes à espera de primeira consulta de cardiologia, há mais de um ano.

"Efetivamente, o valor refere-se ao número de doentes à espera de primeira consulta de cardiologia há mais de um ano, que, em dezembro de 2018, era de 1.096 tendo passado para 593, em outubro de 2019", rezava o comunicado, que referia ainda "um lapso" na informação prestada ao primeiro-ministro.

Esta quinta-feira, no debate promovido pelo PSD sobre a situação da Saúde em Portugal, a ministra disse ainda que o facto de os números "estarem à mão" são "um reflexo da preocupação do Governo".

"O compromisso do Conselho de Administração é que, de facto, no final deste ano, não haja utentes de cardiologia à espera há mais de um ano para consulta externa"., garantiu a ministra da Saúde.

Durante a discussão promovida pelo PSD, Ricardo Batista Leite lembrou que ontem, "os senhores deputados do PS entusiasticamente bateram palmas como se fosse aceitável" uma espera de quase dois anos.

Já pelo CDS, Ana Rita Bessa registou o pedido de desculpas da ministra à bancada centrista.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de