Ministro da Defesa admite reforço do investimento militar

Gomes Cravinho afirma que a Alemanha anunciou "absolutamente extraordinário, de 100 biliões de euros, quando o orçamento anual das Forças Armadas da Alemanha é de 47".

O ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, admite que Portugal terá, como todos os países europeus, de repensar o investimento militar.

"Estamos nos 1,55%, o que corresponde ao compromisso assumido por Portugal em 2018 e que vai até 1,68%. Agora, admito que todos os países europeus tenham de repensar um pouco a sua abordagem em relação ao investimento militar, vão ter de reforçar", reconheceu em declarações à RTP.

Gomes Cravinho realça que a Alemanha anunciou já um pacote "absolutamente extraordinário, de 100 biliões de euros, quando o orçamento anual das Forças Armadas da Alemanha é de 47". Assim, é criado um "fundo com o dobro daquilo que é o orçamento anual, para despesas imediatas".

Significa que a Alemanha "interpreta este momento, e creio que todos nós, como de viragem na política internacional".

"Como se sabe, o orçamento deste ano vai ser discutido em breve e julgo que todos os países da NATO vão ter de ter uma conversa, um diálogo, entre si sobre qual é o contributo de cada um. Quanto a Portugal, não posso antecipar, mas julgo provável que venhamos a aumentar nos próximos anos o nosso investimento militar, para acompanhar o que os nossos outros aliados estão a fazer. Mas deixemos essa questão para o momento próprio que será, desde logo, em relação ao Orçamento de 2022, dentro de um par de meses. E, em relação ao diálogo na NATO, na cimeira de Madrid em junho deste ano", disse ainda o ministro da Defesa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de