"Não estou imunizado" Marcelo fez o novo teste sorológico

O Presidente diz que não teve contacto com a Covid-19. Marcelo vai passar a Páscoa no Palácio de Belém onde "falta espaço" e dorme "ainda menos" do que antes, diz em entrevista à Antena Um.

"Uma ironia", sublinha o Presidente da República conhecido por ser "dos afetos" e pela constante troca de beijos e abraços, mesmo quando já se falava da Covid-19.

Em entrevista à Antena 1, Marcelo Rebelo de Sousa revela que fez "há poucos dias", um dos novos testes sorológicos para detetar a presença de anticorpos para o novo coronavírus e descobriu que não está imunizado.

"Posso dizer-lhe que não estou imunizado porque não tive nenhum contacto com nenhum portador de Covid-19, o que é uma ironia, porque se havia pessoa que contactava de próximo com os portugueses nas semanas anteriores era eu. Pois não tive nenhum contacto com ninguém com Covid-19", disse o Presidente.

Questionado sobre o plano de contingência por integrar um grupo de risco, Marcelo Rebelo de Sousa, que já esteve confinado em casa, disse que se for infetado vai optar por ficar no Palácio de Belém, porque a experiência anterior "mostrou que é inoperacional" e "muito limitativa", por exemplo, nas comunicações via Skype.

Marcelo, os netos e o muro

Na entrevista à Antena Um, o Presidente explicou as mudanças que a Covid-19 trouxe ao dia a dia: passou a conduzir o próprio carro "para ter a certeza que não existe contaminação" e dorme muito mais vezes no Palácio de Belém, apesar de se queixar do "espaço pequeníssimo" que o obriga a ir a casa "buscar roupa e papéis".

E se há vantagem em estar "ao lado do trabalho", a proximidade conseguiu que Marcelo Rebelo de Sousa tenha ainda menos horas de sono porque se levanta para ir consultar papéis."Eu pensava que dormia pouco, agora ainda durmo menos, ironiza."

O distanciamento familiar, sobretudo, da "válvula de escape" das conversas com o neto mais velho, tem sido uma das dificuldades desta época. A forma de manter o contacto, sem proximidade, tem sido falar à distância:"Eles ficam no muro e eu no carro e falamos", explica Marcelo.

Questionado sobre os planos para a Páscoa, o Presidente afirma que ainda pensou em chamar ao Palácio, "pessoas que vivem no concelho" mas acabou por desistir da ideia, dada a quadra, e decidiu manter o contacto "um a um" com todos os presidentes de câmara.

Sobre o país, o presidente alerta contra uma eventual recaída nos dados mais favoráveis dos últimos dias

"As recaídas são sempre piores do que as doenças iniciais e, portanto, temos de evitar a recaída", sublinha o Presidente avisando contra uma "uma descompressão durante o mês de abril". Sobre o futuro: "Veremos", será apreciado "quando terminar este período de renovação do estado de emergência."

Nestes dias de crise, Marcelo Rebelo de Sousa elogia o relacionamento diário com o Primeiro-Ministro: "temo-nos dado muito bem", seja ao telefone, seja em encontros presenciais com a distância regulamentar, garante.

"Tem sido um relacionamento que mantém um bom tónus otimista mesmo nos momentos mais difíceis".

E se houver um Orçamento retificativo, o Presidente espera o apoio do PSD até porque, nesta "fase crítica", "é mais significativo aquilo que une do que aquilo que divide".

"Muitos dos pontos defendidos pelo líder da oposição coincidem com pontos das medidas adotadas pelo governo. Há um esforço de convergência que não é unicidade", sublinha Marcelo Rebelo de Sousa.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de