"Nem a ditadura" repôs a prisão perpétua. Costa acusa Rio de ceder ao Chega

Em marcação cerrada ao líder do PSD, António Costa acusa Rio de ter ultrapassado "linhas vermelhas" ao admitir o restabelecimento da prisão perpétua.

"Assistimos com surpresa, em direto e ao vivo, o Dr. Rui Rio, por conveniência ou necessidade eleitoral dispor-se a considerar com André Ventura diferentes modalidades para restabelecer a prisão perpétua", critica António Costa, num vídeo divulgado pelo PS.

"O combate ao populismo exige linhas vermelhas inultrapassáveis. Os valores do humanismo que inspiram a nossa sociedade não são transacionáveis", avisa o secretário-geral do PS, lembrando que "Portugal tem uma longa tradição humanista assente na ideia de que todo o ser humano é capaz de mudar", tendo sido o primeiro país do mundo a acabar com a pena de morte.

"Nem a ditadura pôs em causa esta tradição", sublinha Costa que avisa que "em circunstância alguma podemos ceder nos princípios ou os valores", defende o líder socialista que termina a mensagem afirmando que "um político responsável tem sempre os seus princípios e os valores ao centro", numa referência ao posicionamento em que Rio tem colocado o PSD, desde que assumiu a liderança.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de