"No CDS não há medo de dizer verdades." Cristas responde a Santos Silva

A resposta da líder centrista à acusação feita por Augusto Santos Silva de que a direita está a trazer as instituições da República para a lama por causa do caso de Tancos.

Em resposta à acusação feita por Augusto Santos Silva, dirigente do PS, de que a direita está a trazer as instituições da República para a lama por causa do caso de Tancos, Assunção Cristas afirmou que o CDS não tem medo do Partido Socialista.

"Sei que há a velha máxima de que quem se mete com o Partido Socialista leva, mas aqui no CDS não há medo de dizer verdades. Quem coloca as instituições políticas na lama é quem mantém um candidato a deputado envolvido num processo em que aparentemente soube do que se passou e quando deveria escrutinar o Governo estava de alguma forma a encobri-lo também", explicou Assunção Cristas.

O cabeça de lista do PS pelo círculo Fora da Europa seguiu as pisadas de Miguel Alves e Carlos César e tornou-se este domingo no terceiro, em três dias, a aparecer em defesa de Costa e num ataque à direita, mas não só, até porque houve farpas ao Bloco.

Primeiro houve um ataque de Santos Silva a Cristas e depois a Rio, mas uma coisa é certa: o líder socialista continua sem precisar de falar dos partidos à direita para ter de se defender. De vez em quando, apenas uma alusão ao diabo por parte de Costa.

Quando é para apontar o dedo à direita vale tudo e por isso nem faltou uma pequena utilização das sondagens. "Assunção Cristas parece querer afundar o nível do debate político democrático em Portugal, mas é evidente para todos - basta olhar para as sondagens - que quem se vai afundar é ela própria com o sufrágio das portuguesas e dos portugueses", atirou Santos Silva.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de