PAN ultrapassa CDS. PS e PSD separados por 8,5 pontos

No penúltimo dia desta sondagem diária da Pitagórica para a TSF/JN/TVI, o CDS fica na última posição entre os partidos com representação parlamentar.

Com tudo igual no topo, é entre os últimos que se regista uma mudança: o CDS cai para o fim da lista dos partidos com lugar no Parlamento, troca com o PAN que regista agora 4,4% de intenções de voto, o melhor valor obtido nesta sondagem diária pelo partido Pessoas Animais Natureza.

Os 3,9% registados pelo CDS não são o valor mais baixo para o partido de Assunção Cristas, nestes treze dias, mas acabam por resultar na queda para último lugar, por causa da subida do PAN.

A liderar as intenções de voto nas eleições legislativas está o Partido Socialista, estabilizado nos 37,3% de intenções de voto. O PSD recupera três décimas para os 28,8%, fixando em 8,5 pontos percentuais a diferença entre os dois maiores partidos.

Entre a esquerda, o Bloco recupera e a CDU cai. Os bloquistas recolhem 9,2% e a CDU regista 6,6%.

Entre os chamados pequenos partidos, o CHEGA mantém 1,5% de intenções de voto e é agora acompanhado pela Aliança com o mesmo valor.
A Iniciativa Liberal e o LIVRE estão agora com 0,9%.

Ficha técnica

Durante 4 dias (29 de Setembro a 2 de Outubro 2019) foi recolhida diariamente pela Pitagórica para a TVI, o JN e a TSF uma sub-amostra de 150 entrevistas que representa o universo eleitoral português com critérios de género, idade e região para avaliar a opinião dos eleitores Portugueses, sobre temas relacionados com as eleições legislativas. O resultado do apuramento dos 4 últimos dias de trabalho de campo, implica uma amostra 600 indivíduos que para um grau de confiança de 95,5% corresponde a uma margem de erro máxima de ±4,07%.

A seleção dos entrevistados foi realizada através de geração aleatória de números de "telemóvel" mantendo a proporção dos 3 principais operadores identificados pela ANACOM, sempre que necessário são selecionados aleatoriamente números fixos para apoiar o cumprimento do plano amostral. . As entrevistas são telefónicas. A taxa de resposta foi de 60,12%.

A direção técnica do estudo é da responsabilidade de Rita Marques da Silva. A taxa de abstenção expressa na sondagem é de 4,3% a que acrescem 43% que na abordagem inicial se recusaram a responder à entrevista por não pretenderem votar nesta eleição, num total de 47,3% de abstenção.

A Ficha Técnica completa pode ser consultada online junto da Entidade Reguladora para a Comunicação Social.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de