PS com intenções de voto acima dos 40%. Chega sobe ao quarto lugar

António Costa obtém a intenção de voto mais alta desde abril 2019, numa sondagem que apenas apanha os primeiros dias do Estado de Emergência. Rio recupera na rejeição. Num cenário em que quase todos descem ligeiramente, o Chega vai buscar votos ao CDS e aos indecisos.

Na primeira avaliação depois das legislativas de 2019, onde o PS obteve 36,3% dos votos, António Costa sobe para o melhor resultado desde abril do ano passado, nesta sondagem da Pitagórica para a TSF e o JN.

O Partido Socialista recolhe 41,7% de intenções de voto, 16,5pp acima do PSD que segue, em segundo, com 25,2% (nas urnas teve 27,6% de votos).

Em terceiro, o Bloco de Esquerda (8,6%), em ligeira queda, e quase colado ao Chega (8,1%) que protagoniza a grande subida nas intenções de voto, em relação às eleições de outubro, quando teve 1,2% e elegeu o primeiro deputado.

A sondagem TSF/JN mostra, aliás, que a exposição parlamentar foi favorável a dois dos novos partidos: além de André Ventura, também João Cotrim de Figueiredo regista, embora em menor grau, uma subida: o Iniciativa Liberal recolhe 2% (tinha obtido 1,2% nas eleições), num cenário em que PSD, BE, CDU, PAN e CDS sofrem quedas ligeiras.

Agora em quinto lugar, a CDU tem 5,3%; em sexto, o PAN recolhe 3,1% e o CDS desliza para o sétimo lugar nas intenções de voto com 2,9% (teve 4,2% nas legislativas).

O melhor resultado para o PS significa também quase o pleno das intenções de voto, junto das várias franjas do eleitorado, onde só é ultrapassado pelo PSD nos eleitores que dizem votar no centro direita, de resto, junto do eleitorado de esquerda, Costa recolhe boas avaliações.

António Costa é entre os candidatos avaliados, o menos rejeitado e aquele que regista maior firmeza de voto: 26% referem que votariam nele "de certeza" para Primeiro-Ministro (uma subida de 4 pp face a agosto), Rui Rio é o segundo candidato com maior firmeza de voto 14% (valor igual a agosto).


Chega em quarto mas 64% "jamais" votariam em Ventura

No campeonato da firmeza de voto, a maior subida, em relação aos valores de agosto, é de André Ventura que passa de 8º para 4º lugar com uma subida de 15pp e fica logo atrás de Catarina Martins, Rui Rio e António Costa que lidera.

No entanto, o líder do Chega recolhe também uma larga fatia de rejeição: 64% dos inquiridos dizem que "jamais votariam" nele, valores semelhantes aos da última sondagem em agosto.

Entre os que admitem votar no Chega estão: eleitores em idade ativa, 10% dos que se assumem como votantes no CDS admitem "de certeza" votar em André Ventura e é, sobretudo, entre aqueles que dizem votar noutros partidos e nos indecisos que o Chega recolhe apoios.

Rio menos rejeitado

Numa comparação com agosto, Rui Rio é o nome onde a rejeição de voto mais diminuiu, recuperando 17pp. Nas intenções de voto, o líder do PSD reforça o apoio junto do eleitorado laranja e até consegue votos no terreno centrista. O inverso não acontece: o novo presidente do CDS Francisco Rodrigues dos Santos surge como um dos nomes que os eleitores dizem "não conhecer suficientemente" e fica em branco junto dos eleitores do PSD.

O político com maior rejeição de voto é ainda Pedro Santa Lopes com 74%.

Nesta sondagem os indecisos representam 19%.

Ficha técnica

A sondagem foi realizada pela Pitagórica para o JN e TSF, com o objetivo de conhecer as intenções de voto dos portugueses nas eleições legislativas. O trabalho de campo decorreu entre os dias 13 e 21 de março, foram recolhidas 605 entrevistas telefónicas a que corresponde uma margem de erro máxima de +/- 4,07% para um nível de confiança de 95,5%.
A amostra foi recolhida de forma aleatória junto de eleitores portugueses recenseados e foi devidamente estratificada por género, idade e região. A taxa de resposta foi de 64,09% e a direção técnica do estudo é da responsabilidade de Rita Marques da Silva.
A ficha técnica completa, bem como todos os resultados, foram depositados junto da Entidade Reguladora da Comunicação Social que os disponibilizará para consulta online.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de