PS mais longe da maioria absoluta. PSD recupera... mas pouco

É o primeiro recuo nas intenções de voto desde abril deste ano. Em setembro o PS viu encurtar-se a distância face ao PSD. O aumento do número de indecisos, sobretudo na área socialista, ajuda a explicar este resultado.

Se as eleições fossem hoje, em que votaria? A pergunta que nos últimos meses foi acumulando cada vez mais intenções de voto no Partido Socialista, em setembro, parece ter sido de resposta mais difícil. O número de indecisos que respondeu ao inquérito da Pitagórica para a TSF e para o JN disparou de agosto para setembro (de 19,6% para 28,4%) e isso parece ter afetado sobretudo as intenções de voto no PS.

Assim, este mês, o Partido Socialista liderado por António Costa recolhe 39,2% das intenções de voto. É um trambolhão de 4,4 pontos percentuais (pp) face ao mês anterior. Em sentido inverso, o PSD de Rui Rio recupera 2,9 pp, para 23,3% dos inquiridos que parecem agora disponíveis para votar nos sociais-democratas. A distância entre estes dois partidos - que pode ser determinante para uma eventual maioria absoluta - é agora de 15,9 pontos.


Quem não mexe é o Bloco de Esquerda que continua com 10% de intenções de voto, rigorosamente a mesma percentagem que tinha em agosto. Mas vê a distância face ao quarto "classificado", a CDU, estreitar-se. A Coligação Democrática Unitária sobe mais de um ponto em setembro para 7,7% e consegue, com isso, o melhor resultado desde abril.

Quem também recupera, ainda que muito ligeiramente, é o CDS de Assunção Cristas. Este mês, os centristas alcançam 5,6% das intenções de voto, recuperando sete décimas face a agosto. E conseguem, com isso, distanciar-se um pouco mais do PAN, que estagnou nos 3,2%. O mesmo acontece ao Aliança de Pedro Santana Lopes: estabilizou em 1,5%, exatamente o mesmo resultado que tinha alcançado no mês anterior.

A surpresa em setembro é o Livre. O partido que tem como cabeça de lista Joacine Katar Moreira, consegue 0,9% das intenções de voto, mais três décimas face a agosto.

Rio só ganha no Porto

É a cidade que o viu nascer, foi lá que foi autarca e é por lá que se candidata como número dois da lista do PSD. Será, por isso, natural, que Rui Rio tenha no grande Porto (23,4%) mais intenções de voto do que António Costa (22,1%). Mas é, na verdade, caso único. O secretário-geral do PS "vence" em todas as outras regiões do país.

No caso do Livre, que este mês surge com possibilidades de eleger o seu primeiro deputado, não é em Lisboa - por onde se candidata Joacine Katar Moreira - que o partido recolhe mais intenções de voto, mas antes no centro do país e no grande Porto.

Na caracterização dos indecisos, em setembro, a sondagem da Pitagórica mostra que são sobretudo mulheres, eleitores com idades entre os 18 e os 24 anos e entre os 45 e os 54. Classe A e B e habitantes do centro do país e das ilhas.

É ao PSD que o PS rouba mais votos

No exercício de comparação com as eleições legislativas de 2015, é possível perceber que a transferência de votos para o PS está a ser feita, sobretudo, à custa do eleitorado do PSD, com algum contributo do eleitorado da CDU, mas quase nada à custa do Bloco de Esquerda,


No caso do PSD, também parece haver alguma transferência de votos do PS, mas para onde os socialistas parecem estar a perder a maior fatia de eleitorado é mesmo para o Bloco de Esquerda.

Ficha técnica

A Sondagem foi realizada pela Pitagórica para a TSF e o JN com o objetivo de avaliar a opinião dos Portugueses sobre temas relacionados com Eleições Legislativas.

O trabalho de campo decorreu entre os dias 9 e 12 de setembro, foram recolhidas 605 entrevistas telefónicas a que corresponde uma margem de erro máxima de +/-4,07% para um nível de confiança de 95,5%.

A amostra foi recolhida de forma aleatória junto de eleitores Portugueses recenseados e foi devidamente estratificada por género, idade e região. A Taxa de resposta foi de 64,02% e a direção técnica do estudo é da responsabilidade de Rita Marques da Silva. A ficha técnica completa pode ser consultada online na Entidade Reguladora da Comunicação Social

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados