PS perto dos 40%, Bloco cai e deixa Chega em terceiro

Na sondagem da Aximage para TSF/JN/DN, PS e PSD sobem. O Chega desce, mas fica décimas à frente do BE. Cruzando voto presidencial e legislativo, um terço de quem votou em Ventura pondera votar no PSD.

Os mesmos treze pontos separam PS e PSD. Ambos sobem, com o PS quase no limiar dos 40% (regista 39,9% de intenções de voto), enquanto o PSD tem 26,6%.

Em terceiro, a ultrapassagem pela direita do Chega (7,7%) ao Bloco (7,5%) resulta da queda do partido de Catarina Martins (cai 1.3pp) porque a força liderada por André Ventura também desce umas décimas, em relação ao mês passado.

Em quinto, apesar de perder 0,7pp, a CDU regista 5% de intenções de voto, o PAN desce (1,2pp) para os 3,5% e, estável, a Iniciativa Liberal mantém 3,5%. Abaixo da linha de água, estão o CDS que recupera meio ponto para os 0,8% e o Livre que tem 0,6%.

A sondagem foi feita durante a primeira semana da campanha eleitoral, em meados de janeiro, e quando se cruzam as intenções de voto nas presidenciais e nas legislativas, constata-se que 34% dos inquiridos que admitiam votar em André Ventura assumem que, caso houvesse eleições legislativas, votariam no PSD.

Um cenário semelhante acontece com a candidatura de Tiago Mayan: metade dos eleitores que afirmavam votar nele para Belém, optam pelo PSD quando se trata de escolher deputados.

Neste cruzamento entre intenção do voto presidencial e do legislativo, fica ainda claro que quase metade (45,3%) dos que tencionavam votar em Marcelo pensam escolher o PS, número que sobe para 70% entre os eleitores de Ana Gomes.

O PS continua a recolher mais intenções de voto do que toda a direita junta (39,9% contra 38,6%), juntando a CDU (que viabilizou o último Orçamento), o resultado sobe para 45% e, se o BE voltasse a fazer parte de um entendimento, o total do PS e da esquerda significaria, nesta sondagem, 52% de intenções de voto.

Tendo em conta, como votaram os inquiridos nas últimas legislativas, o Chega consegue cerca de 40% do apoio de quem votou no CDS, a Iniciativa Liberal fatura junto do PSD (3,5%) e do CDS (6,7%) que também perde para PSD (18%). O PS reúne apoios de cerca de um quarto de votantes no BE e na CDU.

O PSD só supera o PS na Área Metropolitana do Porto, o Chega ganha ao BE no norte e no centro.

Enquanto os eleitorados do PS, PSD, Bloco e PAN são dominados pelo voto feminino, na CDU, Iniciativa Liberal e Chega predomina o voto masculino. Entre os inquiridos que dizem votar no Chega, existe o dobro de homens em relação a mulheres.

O Bloco de Esquerda e o Chega estão empatados junto dos eleitores abaixo dos 34 anos.

Ficha Técnica

A sondagem foi realizada pela Aximage para a TSF JN e DN com o objetivo de avaliar a opinião dos Portugueses sobre temas relacionados com as eleições presidenciais. O trabalho de campo decorreu entre os dias 9 e 15 de janeiro. Foram recolhidas 1183 entrevistas entre maiores de dezoito anos residentes em Portugal. Foi feita uma amostragem por quotas, com sexo, idade e região, a partir do universo conhecido, reequilibrada por sexo e escolaridade. À amostra de entrevistas, corresponde um grau de confiança de 95% com uma margem de erro de 2,80 %. A responsabilidade do estudo é da Aximage Comunicação e Imagem Lda, sob a direção técnica de José Almeida Ribeiro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de