PSD acusa Governo de irresponsabilidade devido a problemas na videovigilância de florestas

Deputado Duarte Marques assinala que há "falta de acordo" sobre quem paga a fatura dentro do Ministério da Administração Interna.

O PSD acusa o Governo de irresponsabilidade por não conseguir garantir que o sistema de videovigilância das florestas portuguesas esteja operacional em plena época de incêndios e desafia o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, a resolver o problema de imediato.

Num comunicado enviado às redações, os social-democratas escrevem que "têm insistentemente alertado o Governo para a caducidade do contrato de manutenção do sistema Ciclope, que cobre cerca de 1.300.000 hectares do território de Portugal continental". Em declarações à TSF, o deputado do PSD Duarte Marques assinala que, mesmo depois de um alerta dos social-democratas em março e de o próprio ministro ter garantido que tudo estaria a funcionar, tal não se verifica.

"É inexplicável, uma coisa inacreditável", defende o parlamentar. Quando o PSD avisou o Governo de que muitas das câmaras estão inoperacionais por "falta de acordo para o pagamento do contrato de manutenção", explica Duarte Marques, o executivo de Costa respondeu que "estava tudo operacional", mas em plena época de incêndio "vimos a saber que está tudo na mesma", lamenta.

Há concelhos de elevado risco que "não têm vigilância", o que significa que a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) e a GNR estão "às cegas" na monitorização dos incêndios. Questionado sobre a quantidade de câmaras de vigilância nesta situação, Duarte Marques admite que o PSD "não tem a certeza" devido à "falta de transparência do Governo", que não revela esse número.

"Posso dizer que no distrito de Santarém, à vontade, cerca de dez municípios não têm neste momento videovigilância na área da floresta." Tudo tem origem na falta de acordo entre a GNR e a ANEPC, que "não se entendem sobre quem paga a fatura".

"Isto revela bem a falta de respeito e capacidade política do ministro da Administração Interna, que nem consegue pôr ordem na própria casa", critica o deputado, que exige uma ordem interna de Eduardo Cabrita ou mesmo do próprio primeiro-ministro, António Costa, para "restabelecer as ligações e pagar o que devem".

"Não há um prazo, isto é para ontem, nunca devia ter acontecido", acrescenta também o social-democrata. O PSD garante que vai insistir com o Governo para resolver o problema.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de