PSD quer fim do uso obrigatório de máscara na rua

Se depender do PSD, o uso obrigatório de máscara na rua será levantado. Medida tem de ser renovada pelo Parlamento para continuar.

O Partido Social Democrata (PSD) está a favor do fim da obrigatoriedade do uso de máscara de proteção na via pública, medida que foi implementada como forma de combate à Covid-19.

Depois de a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, ter defendido que a decisão de pôr fim à obrigatoriedade de usar máscara na rua seria um sinal positivo, o líder parlamentar do PSD vem declarar o apoio do partido ao término desta regra.

Em declarações à TSF, Adão Silva afirma que só um agravamento súbito da pandemia nos próximos dias impediria o PSD de defender o fim das máscaras na rua.

"Face àquilo que foi dito pela senhora diretora-geral da Saúde, por um lado, e, por outro lado, ao nível de vacinação que Portugal já atingiu, o PSD, em princípio, tem toda a disponibilidade para que não haja a renovação da lei que torna obrigatório o uso da máscara", declara.

Adão Silva frisa que a posição do PSD só se alteraria em caso de "um agravamento súbito da situação pandémica", que diz não esperar que aconteça, embora admita que o vírus é sempre uma "caixinha de surpresas".

O projeto-lei que determina a obrigatoriedade de máscara e que está em vigor é da iniciativa do PSD. Agora, a decisão de renová-lo depende exclusivamente do Parlamento. Mas, tendo em conta que a próxima reunião plenária só está marcada para dia 15 de setembro, Adão Silva explica que o mais certo é que a lei fique sem efeito a partir de dia 12.

"A lei atual termina no dia 12 [de setembro] e ou se faz uma nova lei para prolongar o uso obrigatório da máscara na via pública ou não se faz e, como tal, prescreve. Estamos com toda a disponibilidade para não apresentar a renovação do projeto-lei", conclui o líder parlamentar social-democrata.

É uma libertação que não merece a oposição de Lacerda Sales, secretário de Estado Adjunto e da Saúde. "Eu diria que, quando chegamos aos 85% de esquema vacinal completo, que será, muito provavelmente, entre a terceira e a quarta semana de setembro, haverá uma tendência para a flexibilização desta medida", adiantou.

No entanto, realçou o governante, "para além daquilo que é lei, há sempre o bom senso, e o bom senso é o de cada um". Assim, António Lacerda Sales diz-se "convencido de que muitos de nós, com esse bom senso ,em determinadas situações - em aglomerados ou em ambientes muito fechados - vamos continuar a usar máscara durante o próximo período sazonal". Até porque, lembrou, esta proteção individual reprimiu o surgimento de muitas gripes durante o inverno.

* Atualizado às 13h40

LEIA TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de