Rui Rio quer jornalistas penalizados por violação do segredo de justiça

Rui Rio não se importa com o politicamente correto e acredita que os jornalistas devem ser punidos pela publicação de temas em segredo de justiça.

"A violação do segredo de justiça tem de ser aplicada a todos os portugueses." A frase é de Rui Rio durante o debate da rádio, refere-se à responsabilização dos jornalistas na publicação de questões em segredo de justiça e dividiu opiniões. Independentemente do pensamento dos adversários políticos, o líder do PSD garante que a sua convicção é de tal ordem que não tem qualquer dúvida.

No seguimento da discussão sobre corrupção, o social-democrata trouxe para cima da mesa um tema que, admite, "não é minimamente politicamente correto", mas precisa de ser tido em conta, já que, caso contrário, "a sociedade não está equilibrada".

"A violação do segredo de justiça tem de ser aplicado a todos os portugueses, não pode ser uma lei que serve para uns e não para outros. Se eu violo o segredo de justiça porque pego em algo que não posso saber e toco à porta do vizinho e lhe mostro isso consiste num crime, se eu mostrar a 10 milhões de portugueses, o crime é 10 milhões de vezes maior", atirou o líder do PSD.

Rui Rio referia-se à comunicação social e à forma como são publicadas notícias provenientes de fugas de informação, o que na opinião do líder social-democrata deve ser punido.

Catarina Martins saiu em defesa dos jornalistas e da comunicação social. "A fuga do segredo de justiça é um problema, sim, e deve-se responsabilizar, mas limitar a liberdade da imprensa, perseguir jornalistas para resolver um problema do Ministério Público é atacar a democracia e nós isso não podemos admitir", esclareceu a coordenadora do Bloco de Esquerda.

"Não há nenhuma democracia sem imprensa livre e os jornalistas tem de fazer o seu trabalho, a proteger as suas fontes e dependemos também do trabalho da imprensa para combater a corrupção", acrescentou.

António Costa está ao lado da bloquista neste tema, e consequentemente contra Rui Rio. O líder socialista recorda que o segredo de justiça "deve ser preservado para garantir a presunção da inocência e não prejudicar as investigações, mas quem está abrangido pela obrigação do segredo de justiça são aqueles que são atores no processo".

"Não creio que a punição dos jornalistas seja uma boa solução e preocupa-me essa certa tendência autoritária que vejo muitas vezes de querer controlar o Ministério Público e punir os jornalistas", justificou o primeiro-ministro.

Mesmo depois das respostas, Rui Rio manteve a posição: "Se é segredo, é segredo, não se pode publicar."

O social-democrata explica que "não é com isto que se vai deixar de noticiar o problema", já que em causa está "o momento em que se noticia o problema". "Depois da acusação, podem encher as páginas todas do jornal, mas aí já não põem em causa ao bom nome da pessoa nem a própria investigação, através de porem o processo cá fora, avisarem os potenciais visados para se defenderem e destruírem provas", atira Rio.

"Ainda que todos, eu não. A minha convicção é de tal ordem que não tenho dúvida nenhuma", reforça o líder do PSD, deixando claro que está consciente do tema e da importância do mesmo.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados