Só o PS sobe em dia de queda para (quase) todos

A três dias das eleições legislativas, os socialistas recuperam terreno e estão com 37,4%, aumentando para quase nove pontos o avanço sobre o PSD, agora com 28,5%.

O PS sobe quase dois pontos - mais concretamente 1,8 pontos percentuais - na sondagem da Pitagórica para a TSF, JN e TVI e regista agora 37,4% de intenções de voto. O PSD mantém os valores dos últimos dias, deslizando para os 28,5% de intenções de voto.

A três dias das eleições legislativas, os socialistas recuperam terreno e estão com 37,4%, aumentando para quase nove pontos a distância.

O estudo mostra quase todos os partidos a descer: o Bloco de Esquerda cai seis décimas para os 8,9%; a CDU recolhe 7,4% de intenções de voto depois de perder quatro décimas e o CDS fixa-se nos 4%.

Entre os partidos com lugar no Parlamento, além do PS, só o PAN sobe nesta sondagem: o partido de André Silva cresce quase um ponto para os 3,8%, muito próximo do CDS.

Entre quem ambiciona entrar em São Bento, é hoje o CHEGA quem lidera as intenções de voto com 1,5%, seguido pela Aliança que sobe para 1,1%.

LIVRE e Iniciativa Liberal caem: 0,8% para o LIVRE e 0,4 para a Iniciativa Liberal que regista o pior resultado da semana.

Ficha técnica
Durante 4 dias (28 de Setembro a 1 de Outubro de 2019) foi recolhida diariamente pela Pitagórica para a TVI, o JN e a TSF uma sub-amostra de 150 entrevistas que representa o universo eleitoral português com critérios de género, idade e região para avaliar a opinião dos eleitores Portugueses, sobre temas relacionados com as eleições legislativas.

O resultado do apuramento dos 4 últimos dias de trabalho de campo, implica uma amostra 600 indivíduos a que, para um grau de confiança de 95,5%, corresponde a uma margem de erro máxima de ±4,07%.

A seleção dos entrevistados foi realizada através de geração aleatória de números de "telemóvel" mantendo a proporção dos 3 principais operadores identificados pela ANACOM. Sempre que necessário são selecionados aleatoriamente números fixos para apoiar o cumprimento do plano amostral. As entrevistas são telefónicas. .A taxa de resposta foi de 60,06%.

A direção técnica do estudo é da responsabilidade de Rita Marques da Silva.

A taxa de abstenção expressa na sondagem é de 3,3% a que acrescem 43,5% que na abordagem inicial se recusaram a responder à entrevista por não pretenderem votar nesta eleição, num total de 46,8% de abstenção.

A Ficha técnica completa pode ser consultada online junto da Entidade Reguladora para a Comunicação Social

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de