Aumento da mortalidade infantil. Médicos de saúde pública estão "apreensivos" e pedem mais estudos

Em declarações à TSF, Gustavo Tato Borges explica que é preciso uma investigação mais profunda para se perceber quais as causas que estão na origem da morte de mais bebés.

A Associação dos Médicos de Saúde Pública está preocupada com o aumento da mortalidade infantil. O Correio da Manhã escreve, esta segunda-feira, que está a aumentar o número de bebés a morrerem com menos de um ano de idade. Entre janeiro e junho, morreram 119 bebés, o valor mais alto desde 2018.

Um número que deixa apreensivo o presidente da Associação dos Médicos de Saúde Pública. Em declarações à TSF, Gustavo Tato Borges frisa que é preciso olhar para os dados com cautela.

"Estes valores de taxa de mortalidade infantil são sempre algo que nos deixa apreensivos, mas isto é um dado muito genérico, ou seja, esta relação entre o número de óbitos infantis até um ano e o número de crianças vivas que nasceram nesse mesmo período, temos de perceber que tem várias variações e a primeira tem a ver com o número de crianças que nasceram neste período. Estamos a olhar para a taxa de mortalidade infantil neste primeiro meio ano de 2022 e é preciso recordar que relativamente a 2019 até agora tivemos o segundo menor número de nados vivos a nascer nestes mesmos seis meses", explica.

Com menos bebés a nascer, a taxa de mortalidade pode subir, explica Gustavo Tato Borges, que, ainda assim, defende uma investigação sobre as causas da morte de mais bebés.

"Há aqui algo que tem de ser estudado para que não seja só a matemática a dar estes valores. Se, por exemplo, o facto de as mães estarem a ter filhos cada vez mais tarde tem influência sobre este valor ou o facto de vivermos uma situação económica mais difícil. Tudo isso são análises que temos de fazer, além das dificuldades que o SNS tem tido em manter os serviços de obstetrícia a funcionar", acrescenta.

O Ministério da Saúde já está a estudar as causas da mortalidade infantil. A Comissão de Saúde Materna deve apresentar resultados até ao final do ano.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de