Autópsia revela que criança que morreu em Lisboa "não foi devido à vacinação contra a Covid-19"

A informação foi divulgada "com a anuência do Ministério Público" e transmitida à família da criança.

O Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses concluiu que a morte de criança de 6 anos no Hospital de Santa Maria não decorreu da vacina contra a Covid-19, segundo os resultados da autópsia realizada.

"Com o conhecimento e a anuência da Magistrada do Ministério Público titular do processo, informa-se que a morte da criança não foi devida à vacinação contra a Covid-19. Esta informação foi já transmitida à família da criança", lê-se num comunicado do Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses (INMLCF), hoje divulgado.

Segundo o comunicado, foram "concluídos os exames complementares laboratoriais" e enviado ao Ministério Público, "na presente data, o relatório da autópsia realizada no dia 18 de janeiro à criança de 6 anos que deu entrada no Hospital de Santa Maria".

O INMLCF dá conta também no comunicado que, em respeito pela família e pela intimidade e vida privada, "não divulga outras informações de natureza clínica".

Leia o comunicado na íntegra

"O Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses informa terem sido concluídos os exames complementares laboratoriais e ter sido enviado para o Ministério Público, na presente data, o relatório da autópsia realizada no dia 18 de janeiro à criança de 6 anos que deu entrada no Hospital de Santa Maria.

Com o conhecimento e a anuência da Magistrada do Ministério Público titular do processo, informa-se que a morte da criança não foi devida à vacinação contra a Covid-19.

Esta informação foi já transmitida à família da criança.

Em respeito pela família e pela reserva da intimidade da vida privada, o INMLCF não divulga outras informações de natureza clínica."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de