Começar o novo ano sem esquecer que resistimos a 2020

A Ordem dos Psicólogos Portugueses defende mais investimento na saúde mental no país porque é preciso recuperar as pessoas antes de recuperar a economia do país.

Começar o ano com o pé direito significa não esquecer que 2020 existiu. É o conselho do psicólogo Tiago Pereira que defende ser preciso aprender com o ano pandémico para encarar o futuro.

"Há aqui uma experiência individual e social que é importante que a tenhamos presente e que nos lembremos que é, de facto, uma experiência pela qual estamos a passar e, portanto, vamos ser resilientes a ela", explica.

Mesmo com resiliência, o coordenador do gabinete de crise Covid-19 da Ordem dos Psicólogos Portugueses (OPP) admite que 2021 ainda será um ano de dúvidas e incertezas, "para o qual nós entramos já muito fatigados".

Tiago Pereira garante que o cansaço da pandemia "é um sentimento absolutamente natural", sobretudo porque todos se habituaram a estar "vigilantes para determinados comportamentos", bloqueando momentos de espontaneidade. O psicólogo explica que estes sentimentos "tomam conta de nós e nós ficamos com menos espaço para outras coisas".

Manter rotinas e contacto com pessoas mesmo que à distância são algumas dicas de Tiago Pereira para manter o bem-estar mental, defendendo que é preciso fazer escolhas no dia-a-dia que sejam mais fáceis de controlar.

"Estamos um pouco exaustos desta perspetiva de que há aqui uma ameaça, meia difusa, na qual nós sentimos pouco controlo. Portanto, para 2021 escolhamos fazer coisas que nós podemos controlar", afirma.

Investir nas pessoas

A pandemia trouxe problemas de sono, depressão e ansiedade mas o coordenador do gabinete de crise Covid-19 da OPP acredita que os portugueses passaram também a dar valor mais valor à saúde mental, apostando na literacia.

"Portugal tinha e tem uma grave carência do ponto de vista da literacia em saúde e em saúde psicológica. Isso é gerador de estigma, é gerador de exclusão, é gerador de inacessibilidade a serviços e isso é algo que nós temos de combater", defende.

Tiago Pereira pede mais atenção à saúde mental dos portugueses porque "é impossível recuperarmos o nosso país, a economia e o bem-estar se não recuperarmos as pessoas".

O psicólogo afirma que houve mudanças positivas durante a pandemia com a instalação da linha de aconselhamento psicológico disponível no SNS24 e o reforço de psicólogos nas escolas. Ainda assim, Tiago Pereira considera que ainda é difícil aceder a serviços de psicologia.

"Há 2,5 psicólogos por cada 100 mil habitantes nos nossos centros de saúde. É impossível que aí haja uma resposta quando estamos a falar destes números", lamenta.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de