Decisão "é cheia de moralismos". Defesa de Vara vai ponderar recurso

O antigo ministro e ex-administrador da CGD foi condenado a uma pena efetiva de dois anos de prisão, pelo crime de branqueamento de capitais.

O advogado de Armando Vara afirmou, esta terça-feira, que a defesa do antigo ministro socialista e ex-administrador da Caixa Geral de Depósitos vai ponderar recorrer da decisão que o condena a uma pena efetiva de dois anos de prisão.

À saída do Tribunal Criminal de Lisboa, Tiago Bastos admitiu a decisão de seguir para recurso, considerando que a pena atribuída pelo coletivo de juízes foi "injusta" e "moral".

"Acho que é uma decisão injusta. Fundamentalmente, é uma decisão que, do meu ponto de vista, não respeita o direito, cheia de moralismos e moralidades e o direito não é isso", disse o advogado, acrescentando que, por isso, irá ponderar o recurso da decisão.

O antigo ministro e ex-administrador da Caixa Geral de Depósitos Armando Vara foi condenado a uma pena efetiva de dois anos de prisão, pelo crime de branqueamento de capitais.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de