Demitiram-se 87 diretores de serviço do Hospital de Setúbal

A informação foi confirmada à TSF pelo bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães.

Um total de 87 diretores de serviço do Hospital de Setúbal demitiram-se esta quarta-feira, confirmou à TSF o bastonário da Ordem dos Médicos.

Os médicos apresentaram a demissão em solidariedade com o diretor clínico daquela unidade hospitalar, Nuno Fachada.

"Os médicos que têm funções de direção no hospital a vários níveis resolveram todos solidarizarem-se com o diretor clínico e a apresentaram a sua demissão e hoje divulgaram essa posição. Só três é que não assinaram essa declaração", explica à TSF Miguel Guimarães.

Na sequência desta demissão em bloco, o bastonário da Ordem dos Médicos pede uma ação urgente ao Governo. "É uma complicada, que exige por parte do Ministério da Saúde uma resposta rápida. O que disse, no fim da reunião, foi que o próprio Ministério da Saúde fosse ao terreno ouvir as pessoas", disse Miguel Guimarães.

O Governo tinha anunciado a contratação de dez médicos para Setúbal, mas, considera o bastonário, esse número é insuficiente. "Isto em si não chega. É como a questão das obras. Vão avançar, ok, mas há um ano que se diz que vão avançar, a verdade é que continuam num hospital com um espaço físico que não dá para aquilo que é a atividade."

Na quinta-feira passada, o diretor clínico apresentou a renúncia ao do cargo, justificando a decisão com a falta de condições do hospital, inclusive a "situação de rutura e agravamento nas urgências médicas, obstétrica, EEMI [Equipa de Emergência Médica Intra-Hospitalar]", assim como "dificuldades noutras escalas como a pediátrica, cirúrgica, via verde AVC, urgências internas, etc".

O diretor clínico justificou a demissão com a "não resposta sobre a requalificação e financiamento do CHS [Centro Hospitalar de Setúbal] para grupo D", "afastamento e colapso dos cuidados primários de saúde, agravando as dificuldades dos doentes", assim como "incertezas quando ao ecletismo, adaptação e capacidade das obras das urgências".

Nesta segunda-feira, o Governo anunciou que vai recrutar 10 médicos de diferentes especialidades para o Centro Hospitalar de Setúbal e lançar o concurso internacional para as obras de ampliação, segundo o secretário de Estado Adjunto e da Saúde.

António Lacerda Sales precisou que o concurso internacional de ampliação da unidade hospitalar vai ser lançado durante a primeira quinzena de outubro e a obra "estará terminada em 2023".

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de