DGS não divulga parecer técnico para Festa do Avante

A Direção-Geral da Saúde diz que o documento foi entregue ao PCP na data prevista.

A Direção-Geral da Saúde (DGS) já entregou o parecer com as regras para a Festa do Avante ao PCP, mas informa que não vai divulgar o documento publicamente. Em comunicado, a DGS justifica a demora na elaboração do parecer com a complexidade do evento.

Depois de o Presidente da República ter criticado a indefinição da DGS com a publicação das regras para a Festa do Avante, o organismo informa que o documento final foi entregue à organização este domingo "tal como estava previsto". A DGS lembra que "foram realizadas várias reuniões para adequar a organização do evento às medidas de Saúde Pública inerentes ao contexto da pandemia".

"Importa destacar que este é um evento com múltiplos espaços e a que se aplicam regras de áreas de restauração, eventos culturais e circulação de pessoas. Na realização de eventos é necessário que estejam assegurados todos os aspetos que permitam salvaguardar não só a saúde dos participantes, mas também da comunidade, como um todo, uma vez que, epidemiologicamente, cada evento comporta riscos."

A DGS adianta que o parecer entregue ao PCP condensa toda a informação, e ressalva que a diversidade do evento faz com que "a análise seja demorada e mais complexa do que os inúmeros eventos que a DGS tem analisado".

O conteúdo do documento não é divulgado, "à semelhança de todos os pareceres técnicos entregues até ao momento". Ainda assim, a DGS diz que cabe à entidade organizadora tornar público as regras "se assim o entender".

A Festa do Avante começa na próxima sexta-feira, na Quinta da Atalaia, no Seixal. O certame tem estado rodeado de polémica, por juntar mais de 30 mil pessoas em tempo de pandemia. O PCP já garantiu, no entanto, que estarão garantidas todas as medidas de segurança.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de