Dois médicos e um funcionário do hospital de Santarém violam confinamento obrigatório

Há um surto ativo na unidade hospitalar com pelo menos 31 profissionais infetados e 82 de quarentena. Diretor clínico fala "em caso de polícia".

Dois médicos e um funcionário administrativo do Hospital de Santarém terão violado o dever de confinamento obrigatório por terem testado positivo ao novo coronavírus. A denúncia foi feita pelo diretor clínico da unidade hospitalar, que está a meio gás, devido a um surto de Covid-19. Há 30 profissionais infetados e 80 em isolamento profilático.

"Temos uma médica que foi vista a fazer compras numa grande superfície, portanto, no meio de uma série de pessoas e outro médico e um administrativo que foram vistos a frequentar um funeral ontem ao final da manhã", denunciou Paulo Sintra, em declarações à SIC.

O diretor clínico admitiu que se trata "de um caso de polícia", referindo que o hospital não tem capacidade para controlar a sociedade civil. Paulo Sintra referiu que os casos serão reportados à autoridade de saúde local.

Ambos os casos podem configurar um crime de desobediência e, mais grave, de propagação de doença, punível até cinco anos de prisão.

Mais de 30 profissionais de saúde do hospital de Santarém testaram positivo ao novo coronavírus, colocando 82 de quarentena. Fonte do Hospital garantiu à Lusa que "os serviços, por enquanto, estão todos assegurados".

Contactada pela TSF, a Autoridade de Saúde Regional afirma que ainda não chegou nenhuma queixa ao delegado de saúde.

Portugal registou esta quinta-feira um novo máximo de novos casos de Covid-19 desde o início da pandemia, somando mais 3270 testes positivos. O boletim divulgado pelas autoridades de saúde contabiliza também um novo máximo de internamentos. Nas últimas 24 horas, mais 93 pessoas deram entrada em unidades hospitalares com a infeção, totalizando 1365 internamentos.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de