Dores nas costas ou nos pulsos? Como evitar as dores do teletrabalho

Com muitas horas sentados em frente aos computadores, é preciso ter alguns cuidados, ​para evitar que as dores pontuais se transformem em patologias. A Associação Portuguesa dos Fisioterapeutas deixa alguns conselhos básicos.​

​Do escritório para casa, a crise da Covid-19 obrigou a mudar hábitos de trabalho, de forma repentina. ​

Muitos passaram a trabalhar a partir de casa, mas o teletrabalho pode levar a queixas de dores na coluna, nos pulsos e no pescoço. ​

O presidente da Associação portuguesa de fisioterapeutas, Adérito Seixas, recomenda que no novo ambiente de trabalho, se ajuste a altura da cadeira e do ecrã de computador. "Podemos colocar" as antigas listas telefónicas debaixo do ecrã, "para estar ao nível dos olhos", sugere Adérito Seixas. As cadeiras também devem ser reguláveis, "para que o cotovelo fique ao nível do suporte onde está o teclado e o rato". ​

O fisioterapeuta sublinha ainda a importância de fazer pausas no trabalho. "O ideal seria de meia em meia hora", mas não sendo produtivo, podemos usar o truque de "colocar o alarme no telemóvel, para nos lembrar" da necessidade de fazer pausas de 90 em 90 minutos. ​

Adérito Seixas aconselha a "caminhar pela casa, num percurso com alguns obstáculos para fazer movimentos diferentes", "fixar o olhar o mais longe possível", à beira da janela, para "fazer algum descanso ocular". ​

Se tiver uma bancada, até pode trabalhar de pé. ​

Mas para quem está sentado, há gestos simples que fazem a diferença: "esticar os joelhos, puxar os dedos dos pés em direcção ao tronco", rodar os pulsos, os braços e o pescoço.

O presidente da Associação portuguesa de fisioterapeutas realça que a dor nem sempre representa uma patologia. O mais importante, conclui Adérito Seixas, é fazer pausas no teletrabalho e variar os movimentos.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de