Restrições a viagens de Portugal para a Suíça? MNE diz que "é uma dificuldade" em tempo de Natal

Apesar de compreender a decisão da Suíça de colocar Portugal na lista de países de risco, Augusto Santos Silva reconhece que os países estão a tentar tomar medidas "provisórias e muitas delas drásticas" para fazer face às consequências que possam advir da nova variante Ómicron.

O ministro dos Negócios Estrangeiros (MNE) admite que a decisão da Suíça " é uma dificuldade" para os emigrantes portugueses que queiram vir passar o Natal a Portugal. Contactado pela TSF, Augusto Santos Silva compreende, no entanto, a decisão da Suíça.

"Quando impomos uma quarentena de 10 dias à entrada não estamos propriamente a incentivar a mobilidade, mas nós próprios já fizemos isso em relação a outros países", salienta. Na opinião do MNE, os diferentes países estão a tentar tomar medidas "provisórias e muitas delas drásticas" para comprar tempo de modo a perceber as consequências que possam advir da nova variante Ómicron.

"Vamos esperar que as nossas autoridades científicas e médicas nos deem informações mais precisas nos próximos dias para que as medidas possam ser ajustadas", adianta. O ministro espera que as medidas que venham a ser tomadas surjam "a tempo de não prejudicar o Natal das pessoas".

A Suíça colocou Portugal na lista de países de risco, com "variante de preocupação", devido à nova estirpe da Covid-19. A medida, anunciada pelo Ministério suíço da Saúde, está em vigor desde as 00h00 desta terça-feira e estão também incluídos na lista o Japão, a Nigéria e o Canadá.

Para entrar na Suíça será necessário, a partir de agora, apresentar um teste PCR ou antigénio negativo e fazer uma quarentena de 10 dias, mesmo que esteja vacinado ou já recuperado da doença.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de