EMA confirma possível ligação entre vacina e casos muito raros de coágulos. 18 foram fatais

Vantagens da vacina da AstraZeneca continuam a ultrapassar, contudo, os riscos.

A Agência Europeia do Medicamento (EMA) confirma a existência de uma "possível ligação" entre a vacina da AstraZeneca contra a Covid-19 e casos muito raros de formação de coágulos sanguíneos "pouco habituais".

Contudo, a avaliação risco-benefício mantém-se positiva a favor do uso da vacina.

A conclusão acaba de ser divulgada, esta quarta-feira, num comunicado, onde o regulador europeu do setor, que orienta a regras do medicamento seguidas em Portugal, pede aos profissionais de saúde e a quem recebe a vacina para que "permaneçam atentos" para esta possibilidade que, sublinha, é "muito rara" e combinada com situações em que a pessoa tem baixos níveis de plaquetas no sangue.

A maioria dos casos ocorreu em mulheres com menos de 60 anos, nas duas semanas seguintes à vacinação, sem se terem detetado fatores de risco concretos.

O comité que fez uma avaliação profunda dos relatos contou 86 casos de coágulos sanguíneos, a maioria (62) no cérebro, 18 dos quais fatais, num total de cerca de 25 milhões de pessoas vacinadas.

A EMA recorda que a Covid-19 é uma doença associada a um risco de hospitalização e morte, enquanto os coágulos em causa são muito raros, pelo que as vantagens da vacina ultrapassam os riscos de efeitos secundários.

LEIA TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de