Estação de comboios de Algés encerrada por tempo indeterminado

Algés foi uma das zonas mais afetadas pela tempestade dos últimos dias. A estação de comboios ficou completamente submersa.

A estação de comboios de Algés, em Oeiras, um dos maiores interfaces às portas de Lisboa, continua esta sexta-feira encerrada.

Devido à chuva intensa que caiu nos últimos dias na Grande Lisboa, a estação subterrânea que ficou completamente alagada está fechada, sem previsão de reabertura.

Também um silo automóvel nas imediações ficou alagado. Os bombeiros do Ribatejo, de Alcabideche e de Castanheira do Ribatejo trabalharam durante todos a noite com bombas de água de grande potência, mas apenas conseguiram retirar água de um dos pisos inferiores.

Restaurantes, comércio local, farmácias e outros serviços estão também encerrados. A água chegou a atingir a altura de 1.60 metros, altura marcada por linhas de lama nas fachadas.

Muitas lojas ficaram inundadas. Em declarações à TSF, a responsável por uma peixaria conta que os estragos podem superar meio milhão de euros devido à avaria de máquinas e arcas frigoríficas num espaço que tinha sido renovado no início do ano.

A Câmara de Oeiras anunciou esta sexta-feira que vai criar um fundo, cujo valor será ainda determinado, para apoiar os comerciantes na sequência dos estragos provocados pela tempestade.

Em comunicado, o presidente da câmara, Isaltino Morais, anunciou que vai constituir um fundo, "de acordo com a capacidade financeira municipal", para ajudar os comerciantes a recuperarem as suas atividades, "independentemente de eventuais apoios que o Governo venha a considerar atribuir".

O montante do fundo será em "função do prejuízo", resultante dos estragos provocados pelo mau tempo da noite de quarta-feira, e será "determinado após a avaliação dos prejuízos no terreno".

Isaltino Morais adiantou que durante a manhã de sexta-feira serão destacadas equipas que contactarão "comerciante a comerciante" para "avaliar os prejuízos de cada um".

Algés foi uma das zonas mais afetadas pelo temporal que se abateu sobre a Grande Lisboa na noite de quarta-feira e madrugada de quinta-feira. Uma mulher morreu, vítima de inundações na casa onde vivia.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de